Aeroportos russos

Depois da confusão que eu vi no aeroporto de Moscou, eu nem queria imaginar como seriam os aeroportos do interior da Rússia… Mas eis que chega o dia da viagem a Kazan e lá vamos nós, mais uma vez, enfrentar o Terminal 1 do Sheremetyevo.

Para entrar no aeroporto existem milhares de controles: tem raio X de malas logo na entrada, raio X de novo pra fazer o check in, tira sapato, abre mala e tenta explicar para o policial russo que espuma de barbear não é material radioativo… 

No check in uma surpresa: a bagagem de mão não poderia superar 5kg! “Mas quando comprei a passagem, o limite era de 10kg! Tá escrito no meu comprovante!”. E daí que tá escrito? Não adianta mostrar comprovante, não adianta tentar argumentar: ou pesa 5kg ou não embarca! Quando entrei no avião descobri o porquê dessa exigência: o avião era minúsculo, uns 40 lugares no máximo, e no bagageiro mal cabia a minha bolsa…

Eu não sou do tipo que tem medo de avião, mas aquele me assustou. Como chacoalhava! E ainda por cima o nosso “aeromoço” não falava inglês! (Só o pessoal da business tinha uma aeromoça bilíngue). Depois de uma hora e meia de chacoalhos, finalmente chegamos a Kazan.

Descemos do avião e uma fulana gritava qualquer coisa em russo no meio da pista. Então algumas pessoas entraram numa mini van, enquanto outras seguiam a tal fulana (a pé e debaixo de uma chuvinha fina). E agora? Pra onde ir? Achamos melhor seguir a pé mesmo… vai saber para onde vai aquela van…

Só depois fui descobrir que a turma que foi de van era da business e o pessoal a pé era o povo da econômica…

Pois bem, chegamos numa salinha com uma única esteira para retirar bagagens, mas a tal fulana, em russo e de um modo nada gentil, botou todo mundo pra fora da sala. E assim, lá estávamos nós, no hall do aeroporto, onde os russos recém chegados estavam felizes de encontrar os parentes e amigos e eu estava desesperada para encontrar as minhas malas!

Após uns 20 minutos de espera, abrem a porta da sala de bagagem e é um Deus nos acuda. Todo mundo entra ali, passageiros, amigos, parentes…, na caça de seus pertences. Pelo menos as nossas malas estavam nos esperando!

O vôo de retorno também foi cheio de novidades. Chegamos ao aeroporto de Kazan com a clássica 1h30 de antecedência, pra fazer tudo com calma. Vimos uma televisão que anunciava o nosso vôo e, onde mesmo fica o check in?

Não fica! Não existe! Rodamos por todo o aeroporto e encontramos tão somente: uma banca de revistas, dois quiosques de venda de passagens, alguns cartazes em russo e ninguém que falasse inglês ou qualquer outra língua mais ou menos compreensível.

A nossa sorte que o aeroporto é minúsculo e a TV mostrava que, depois do nosso vôo, o próximo seria só à noite. Assim, nos juntamos a um grupo de pessoas felizes, sorridentes e cheias de malas. Provavelmente elas sabem como se faz o check in…

Dito e feito! De repente, bem na nossa frente, uma porta insuspeita se abre e, como que por encanto, surge a área do check in com todos os seus controles e raios X! Que felicidade poder tirar os sapatos e explicar que espuma de barbear não é material radioativo!

É claro que o povo que faz o check in também não falava inglês e não adianta fazer cara de “não tô entendendo nada”, pois eles continuam dando instruções em russo. A solução é concordar com tudo e seguir o fluxo! Pelo menos dessa vez o vôo foi tranquilo e nem chacoalhou tanto…

Eu já estava me achando uma expert em funcionamento dos aeroportos russos, mas eles sempre arrumam um jeito de inovar.

Quando descemos em Arkhangelsk, tinha aquele clássico ônibus nos esperando para nos levar ao terminal (e, dessa vez, não tinha divisão entre business e econômica!). O ônibus estava realmente se dirigindo ao terminal, mas, de repente, ele pára na frente de um portão e descarrega todo mundo pro lado de fora do aeroporto, já no estacionamento, do lado de um ponto de ônibus!

E agora? Quem seguir? Alguns russos ficaram por ali mesmo beijando e abraçando pessoas queridas, outros reentraram no aeroporto e outros foram em direção ao um ponto de táxi!

Decidimos seguir o grupo que reentrou no aeroporto e, até que passássemos por todos os raios X, tira sapato, põe sapato, espuma de barbear não é material radioativo, etc, etc…, os russos do nosso vôo se dispersaram e, no hall do aeroporto, não existia uma única menção à bagagem! (Depois da última experiência, aprendi como se escreve bagagem em russo…)

Mostramos os recibos de bagagem a um policial e ele nos levou para fora do aeroporto, apontou para o ponto de táxi e fez sinal de que encontraríamos algo depois dos táxis.

Viva! Como é bom dar de cara com uma situação já conhecida: uma porta fechada, que mais cedo ou mais tarde se abriria, e o Deus nos acuda para pegar as malas, que havíamos visto no aeroporto de Kazan, se repetiria!

No dia seguinte, o check in para as Ilhas Solovki, como não poderia deixar de ser, apresentou uma novidade! Decisamente na Rússia não existe um “aprendi como se faz”! Cada caso é um caso!

Depois da entrada, os tradicionais raios X, tira sapato, põe sapato, espuma de barbear não é material radioativo…, em seguida, porta insuspeita que se abre misteriosamente para a área do check in, mais controles, tira sapato, põe sapato, espuma de barbear não é material radioativo… Balcão do check in: passaporte, visto, passagem, pesa mala, bagagem de mão, bagagem de porão… 

Bagagem de porão?? Nananinanão!  Nada vai para o porão! Ficamos bem uma meia hora na sala de embarque com todas as nossas malas esperando o desenrolar da história…

Finalmente descobrimos que deveríamos carregar todas as nossas malas até o avião e, ali, um funcionário indicava onde ficava o “porta malas” e, então, cada um providenciava o embarque de suas malas! Super prático!

Pra desembarcar, a mesma coisa. As pessoas se dirigem ao “porta malas” do avião e cada um pega a sua respectiva bagagem! Nenhum risco de extravio!

O problema do aeroporto das ilhas Solovki é que não existe exatamente um aeroporto. É uma pista de pouso e mais nada! Do lado da pista tem uma casa de madeira, que imagino seja um tipo de torre de controle e do outro lado algumas vans que esperam passageiros de grupos organizados.

Ou seja, se você não faz parte de um grupo organizado, ou não contratou um transfer com seu hotel, ver ter que arrastar as malas a pé, por estradas de terra e molhadas do aeroporto até o hotel. Não é muito agradável… Experiência própria…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

20 thoughts on “Aeroportos russos

  • 01/09/2008 at 18:13
    Permalink

    Olá !!
    Estou lendo seu relato como quem lê um livro de aventura!! Que delícia vc compartilhar isso tudo com a gente, muito obrigado.
    E que bom que no fim deu tudo certo e valeu o esforço. No final do teu relato pode publicar em forma de livro que eu compro.
    🙂

    Reply
  • 02/09/2008 at 13:38
    Permalink

    Nossa…tenho acompanhado a novelinha russa e digo uma coisa Luiza você é corajosa mesmo! Organizar toda essa loucura e conseguir passar por todas essas situações…tenho certeza que você tira de letra viajar pra qualquer lugar!
    Já tem umas 2 semanas que saiu no caderno de viagens do Globo uma matéria sobre a Rússia…lembrei logo da sua viagem e fiquei pensando…falta tanta coisa pra escreverem…nem falava sobre visto!
    Continue a novelinha que estou adorando!
    Beijos

    Reply
  • 03/09/2008 at 19:22
    Permalink

    Oi Rodrigo,

    Obrigada! Fico feliz que vc esteja gostando… Ainda tem muita coisa pra contar, a Rússia é inacreditável!

    E quanto ao livro… Menos, vai! 🙂

    Bjs

    Reply
  • 03/09/2008 at 19:26
    Permalink

    Oi Danilo

    Obrigada pelos elogios!

    E eu que achava que aeroporto fosse um “território neutro”, mais ou menos igual no mundo todo, com pessoas bilingues espalhadas por todos os cantos… Doce ilusão…

    Bjs

    Reply
  • 03/09/2008 at 19:29
    Permalink

    Oi Carla,

    Na realidade não precisa de muita coragem… O que precisa de verdade é tempo disponível, muita paciência e muita vontade de viajar! 🙂

    Eu resolvi colocar aqui todos os meus passos, justamente pela falta de informações, principalmente para lugares menores e fora do circuito Moscou – St. Petersburg…

    E ainda tem muita coisa pra escrever, a Rússia é inacreditável!

    Bjs

    Reply
  • 12/09/2008 at 14:22
    Permalink

    Ola, td bem? Concordo com o Rodrigo,,, li como se fosse um livro de aventura! ri bastante,,, pois eh verdade)) eh sempre interessante saber o que axam do seu pais os visitantes. Infelizmente, nao eh facil de “sobreviver” um estrangeiro aki na russia sem saber a lingua, mas adorei a sua atitude!!! Super:) obrigada

    P.S. mas nem imagino como vc teve coragem de ir por conta propria,, eu jamais iria rsrs

    Reply
  • 14/09/2008 at 10:12
    Permalink

    Olá Svetlana!

    A Rússia realmente não é um país fácil, mas é fascinante justamente por ser difícil. E cheguei a conclusão de que não precisa de coragem, a Rússia me pareceu um lugar muito seguro. Eu precisei mesmo foi de muita paciência e flexibilidade para contornar as dificuldades, principalmente linguisticas, que foram aparecendo.

    Fico feliz que vc tenha gostado. Seja bem vinda ao blog!

    Bjs

    Reply
  • 22/10/2008 at 03:21
    Permalink

    Bom dia

    Gostaria de uma ajuda de voces , meu caso é meio complicado , mas eu conheci uma mulher pela internet em site de relacionamento .Ela diz morar em Kazan e combinamos de nos encontrar em novembro talvez. A minha pergunta é meio delicada , mas , como estou apaixonado e com receio ao mesmo tempo tendo em vista que irei somente com as informações que ela me passou. Tenho medo de algum golpe ou coisa parecida já que ela não fornece o tel nem o endereço de onde mora, apenas diz que irá até o Hotel onde estarei hospedado . Alguem pode me ajudar com algum comentario , alguem tem noticia se a houve algum golpe nesse sentido com turistas brasileiros ou de outros paises .

    Reply
  • 22/10/2008 at 12:15
    Permalink

    Olà José Luiz

    Eu sinto muito, mas nao sou a pessoa mais indicada para dar esse tipo de conselho… Jà ouvi varias estorias parecidas com finais felizes e outras com um final nem tao feliz assim…

    Cabe a vc decidir se vale a pena arriscar!

    Bjs

    Reply
  • 07/04/2009 at 14:38
    Permalink

    Olá !!
    É mto interessante ler sobre suas viagens à Russia.
    Tenho uma paixão especial por esse grande/belo/rico país com sua diversidade cultural e de paisagens e o povo é bonito, gentil e mto hospitaleiro.
    Grande abraço a todos e……………boas viagens p continuar trazendo p nós informações preciosas como estas…

    Reply
    • 08/04/2009 at 14:45
      Permalink

      Ola Otniel,
      Obrigada!
      Seja bem vindo ao blog!
      Bjs

      Reply
  • 12/03/2011 at 20:33
    Permalink

    Parabéns Luisa!!
    Com esse senso de humor você tirará de letra todas as dificuldades que surgirem!! Muito de brasileiro viu??
    O importante é atingir seu objetivo e ser feliz!!
    Ri muito com suas aventuras!
    Abraço.
    Cleide

    Reply
  • 22/08/2011 at 01:41
    Permalink

    Olá !
    Parabéns por seu BLOG !

    Estamos planejando uma viagem à Russia e China e seu Blog tem nos ajudado com suas informações …

    Uma pergunta : nosso trajeto será BRASIL – RUSSIA – CHINA – RUSSIA – BRASIL, você acha que teremos problemas com compras feitas na China ao passarmos pela Russia na volta ? Pretendemos aproveitar os preços chineses para algumas compras pessoais ,e estamos na dúvida se teremos problemas com isso. Como foram as burocracias de entrada na Russia ? Complicadas ?

    Desde já agradeço a atenção.
    Cláudio M. Medrado.

    Reply
    • 25/09/2011 at 11:42
      Permalink

      OI Claudio
      Vc nao terà problemas se ler direitinho nos sites oficiais (consulados por exemplo) quais sao os limites da alfandega russa e seguir tudo à risca. Cada pais tem as suas regras.
      Nao tive maiores problemas, alem da lingua, para entrar na Russia.
      Bjs

      Reply
  • 06/02/2012 at 16:53
    Permalink

    Parabéns Luisa, teu périplo é fascinante. Estou adorando acompanhar tua viagem, pois pretendo um dia conhecer esse país espetacular. Comprei um livro de arquitetura tempos atrás pela capa e adivinha qual foto estava estampada? a de uma igreja de madeira da Ilha de Kizhi
    Desde então tenho sonhado com esse lugar e não vou sossegar até conhecê-lo. Dá uma passada na Cultura e procura o livro ao qual me refiro.
    Só uma pergunta: os homens russos utilizam o quê para se barbear? gordura de porco?

    Reply
    • 06/02/2012 at 21:21
      Permalink

      Oi Jefferson
      Nao desista mesmo, Kizhi vale a viagem!
      Vai saber o que eles usam pra se barbear…provavelmente a embalagem era diferente… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 30/07/2012 at 23:26
    Permalink

    Quase nao tive problemas com aeroportos na Russia, exceto um: nao quiseram me deixar sair do pais. Logicamente a mulher do guiche nao falava ingles,ou se falava, escondeu mtissimo bem, entao ela apontava pra mim e falava “rusky”, apontava pro passaporte e fazia cara feia. Chamou todo mundo, me fez tirar oculos, soltar cabelo , virar de lado, sorrir e ainda assim , “rusky”. O embarque rolando e eu fazendo caras e bocas, enquanto a mocinha decidia se eu era uma agente infiltrada fugindo do pais com o mapa das armas nuclears. Pensei seriamente em sambar, mas eu nao sou mto boa de ginga, ai sim q ela ia me barrar… entao resolvi ser brasileira chucra. mandei meu RG brasileira no guiche, xinguei pai mae cachorro e papagaio no bom e chulo portugues. Dpois de quase uma hora, fui a ultima a embarcar, recebendo olhares nao muito amistosos heheheh. AInda assim, que pais espetacular… amo essa mae russa temperamental! volto mil e uma vezes, nem q tenha q mudar meu nome pra Olga ehehheheh

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *