Azerbaijao na pratica

Vou tentar compilar as respostas que encontrei para as minhas principais duvidas praticas antes de embarcar pro Azerbaijao

Quando ir:

Teoricamente nao existe uma estaçao ruim pro Azerbaijao, se o objetivo for visitar apenas Baku e arredores. A unica coisa que se tem que ter presente è que no verao faz muito calor e no inverno faz muito frio, o que pode atrapalhar um pouco o prazer de passear, mas nao chega a ser um problema.

Nòs fomos no inicio de junho e pegamos temperaturas muito agradàveis no geral, com um ventinho mais fresco durante a noite e o sol das 14h que ardia sem dò.

Tem que se levar em consideraçao tambem que, nao obstante o Azerbaijao seja um pais laico, a maioria dos habitantes è de origem muçulmana, entao convem dar uma olhadinha na epoca do Ramada e se organizar de consequencia.

Quanto tempo:

Nòs ficamos 4 dias e conseguimos visitar tudo o que gostariamos num ritmo bem tranquilo, pra poder respeitar os horarios de fome e sono da herdeira. Acho que a unica coisa que faltou foi  um pouco de tempo (ou seria vontade? )para passear pela parte moderna de Baku.

Mas acredito que se voce nao precisar ir pra cama as 20:00 da noite, nao se demorar muito no almoço e nem tiver necessidade de parar o passeio para lanchinhos e troca de fraldas, acredito que 4 dias sao mais do que suficientes para ver tudo o que Baku e arredores tem pra oferecer.

Quanto custa:

Essa è a parte mais dificil de responder, pois vai depender muito do estilo de viagem de cada um. Em linhas gerais, o manat azeri vale mais ou menos a mesma coisa que o euro e achei os preços das coisas por là muito parecidos com os preços que encontro em Milao.

E Baku è sempre uma cidade grande, existem opçoes para todos os tipos bolsos.

Como se locomover:

Apesar de ter lido sobre o bellissimo metro de Baku, achei que nao valia a pena quebrar a cabeça com transporte publico, arrastando todas as tralhas que um bebe de um ano e meio exige. Com uns 10 manats eu confortavelmente atravessava a cidade de taxi.

Para visitar os arredores, um taxi, ou um meio de transporte proprio, ou um tour com alguma agencia, sao imprescindiveis. Baku è uma cidade bonita, limpa, moderna, mas è sò chegar na periferia que a situaçao muda completamente. Usar transporte publico para visitar os arredores de Baku è pra quem tem tempo e espirito de aventura; nao era o meu caso.

A hospedagem:

Nòs montamos a nossa base em Baku, encostada na cidade murada e de frente pro boulevard, quer dizer, bem perto do que nos interessava ver na cidade.

Normalmente è essa a minha tecnica para escolher a localizaçao do hotel em qualquer viagem: decido o que quero fazer na cidade e procuro um hotel nas redondezas, ou pelo menos um hotel que tenha transporte facil atè o lugar do meu interesse principal. Tem funcionado! 😉

O que vestir:

A minha preocupaçao maior è que, por ser um pais de maioria muçulmana, eu precisasse de algum tipo de roupa especial para nao fazer feio em lugares publicos. Mas foi uma preocupaçao boba, vi algumas mulheres com lenços na cabeça, mas pra cada mulher de lenço tinha umas 10 de minissaia.

Aqui vale o bom senso,  as roupas que usei em Baku foram exatamente as mesmas que eu uso em Curitiba, em Sao Paulo ou em Milao.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 thoughts on “Azerbaijao na pratica

  • 11/11/2015 at 12:54
    Permalink

    Maravilhosos os posts sobre o Azerbaijão! Depois que li “Ali e Nino”, fiquei morrendo de vontade de conhecer!

    Reply
    • 11/11/2015 at 14:15
      Permalink

      E eu estou morrendo de vontade de ler Ali e Nino!!
      Mas a minha literatura anda muito devagar… tem sempre um Lonely Planet que fura a fila!
      Bjs

      Reply
        • 12/11/2015 at 11:14
          Permalink

          Vou ler sim, com certeza! Jà comprei e ele tà ali bonitinho esperando no meu kindle… E’ que estudar as proximas viagens me toma um tempo danado de leitura! 😀

          Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *