Bourgogne: o roteiro

Na realidade era para eu estar escrevendo sobre a Libia, mas nossa viagem toda planejada – e paga – para a terra do ditador com um nome que nao sei como se escreve acabou sendo adiada por motivos obvios.

O problema maior è que qualquer viagem turistica para a Libia exige uma agencia de turismo (senao nao liberam o visto), e por isso tivemos que esperar atè o ultimo minuto para poder mudar de destino sem perder dinheiro. Se a agencia cancela a viagem, ela nos reembolsa; se nòs cancelamos a viagem, pagamos a multa!

Pois bem, a agencia cancelou a viagem com um mes de antecedencia e nòs tinhamos 10 dias livres para viajar.  Com apenas 1 mes de antecedencia e com feriados no meio, os preços dos voos para qualquer lugar eram impraticavelmente caros e os destinos empacotados oferecidos pela agencia nao nos satisfaziam (pra variar).

Decidimos entao ir para a Bourgogne: poderiamos ir de carro a partir de Milao; tinhamos acabado de fazer um curso sobre vinhos franceses (pois è, eu me rendi ao mundo do vinho e comecei a fazer o curso da Associazione Italiana Sommeliers) e a professora, francesa, apaixonada por vinhos e pela França tinha se mostrado super disponivel para ajudar num roteiro por essa famosa regiao vinicola.

Mandamos um email para ela, meio na cara de pau, e eis que ela nos manda dicas e mais dicas de vinicolas, vinhos, degustaçoes e inclusive hoteis e passeios interessantes na regiao. Simplesmente fantastico!

O unico “detalhe” è que 10 dias è tempo demais para se ficar sò na Bourgogne, por mais que a gente goste de vinho. Entao acabamos ampliando um pouco o territorio a ser explorado.

Resolvemos ficar 4 dias na Bourgogne propriamente dita, basicamente para o turismo enogastronomico. Outros 4 dias seriam usados para passear pelos arredores da regiao, numa tentativa frustrada de se fazer um turismo menos guloso e mais cultural. (Atè conseguimos fazer uns programas mais culturais, mas o “menos guloso” foi impossivel!) e reservamos 2 dias para ir e voltar, jà que estariamos de carro e a viagem nao è muito curta.

Nosso roteiro ficou assim: saimos de Milao bem cedinho e dirigimos 9 horas atè Saint Savin e dali fomos voltando pra Milao com paradas em Bourges, Vezelay, Montbard, Vosne-Romanée, Arc et Senans, Besançon e as cidades dos relojoeiros na Suiça (La Chaux de Fonds e Le Locle), de onde dirigimos 4 horas atè chegarmos em casa em Milao.

Nos proximos posts pretendo falar um pouco sobre cada um desses lugares e repassar as dicas da professora francesa, caso alguem se interesse por turismo enogastronomico.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 thoughts on “Bourgogne: o roteiro

  • Pingback: Abadia de Fontenay | Arquivo de Viagens

  • Pingback: Vinicolas-puxadinho | Arquivo de Viagens

  • Pingback: B&B com uma degustaçao fantastica | Arquivo de Viagens

  • 21/10/2011 at 20:24
    Permalink

    Moro na Borgonha e achei muito interessante ver as impressões de outra pessoa passeando por aqui! Parabéns pelo blog, curti bastante e vou passar a acompanhar.

    Reply
    • 07/11/2011 at 12:02
      Permalink

      Oi Ana
      Obrigada! Vou curiosar seu blog!
      Bjs

      Reply
  • 07/08/2012 at 20:54
    Permalink

    Olá! Parabéns pelo site! Teremos dois dias na Borgonha; gostamos muito de vinho, mas não dominamos o francês, nem o inglês; adoramos comer bem; estaremos voltando da rota dos vinhos brancos da Alsácia, nosso foco na Borgonha são os tintos. Considerando estas informações: onde montar base? onde ficar hospedado? que produtores conhecer? que restaurantes conhecer? contratar passeios ou dirigir? as relações custo-benefício são boas? Desculpe a “avalanche” de perguntas… rs Obrigada!!! Abraços!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *