Viagens, filhos e palpiteiros

Vendo que uma grande parte das blogueiras de viagem que eu admiro resolveram aumentar a familia, acabou me dando uma saudade tremenda de quando eu estava gravida da herdeira e me peguei rindo sozinha enquanto me lembrava das advertencias dos amigos e familia sobre todos os sacrificios e renuncias que uma futura mamae deve necessariamente afrontar. E quando o assunto era viagem… sente o drama:

A mais frequente de todas as advertencias era: “Quando a herdeira nascer, esquece as tuas viagens!” – Voce nem pariu ainda e là estao os palpiteiros de plantao agourando as tuas futuras viagens – para o bem da tua filha, è claro! Mas no fundo eu sabia que nunca iria parar de viajar entao o jeito era desligar: enquanto o palpiteiro falava, meu  pensamento voava… organizando a primeira viagem em familia, obviamente.

Depois que as pessoas percebem que voce nao vai deixar de viajar por causa do teu filho, a consequencia natural è: “mas pra que viajar com um bebe tao pequeno? Ele nao vai lembrar de nada…” . Falou o esperto em memoria neonatal! E mesmo que a cria nao se lembre de nada, qual è o problema? Viajar me faz bem e se eu estou bem, minha filha està bem! O jeito è caprichar no sorrisinho amarelo e responder: “è, eu sei… mas vou aproveitar que ela nao paga atè os 2 anos!”

E nem assim o palpiteiro desiste: “Voce tà louca?! 12 horas de voo com um bebe tao pequeno?!”. E aì, apesar de bater aquela insegurança natural de mae de primeira viagem, voce respira fundo e mente despudoradamente: “Eu vou viajar naquela companhia aerea super top e reservei o serviço de “babysitter on board”, nem vamos sentir o tempo passar!

abre parenteses: esse serviço de babà a bordo existe de verdade! Eu nunca testei, to sò na vontade mesmo… fecha parenteses

Resolvido o problema do tempo dentro do aviao, là vem mais uma: “mas pra que ir pra Paris? Vai pra Pindamonhangaba! Pro bebe dà no mesmo…”  Como è que è? O que responder para uma criatura dessas? Cara-palida, pro bebe pode atè ser a mesma coisa, mas pra mim nao è!!

E depois de umas 2 ou 3 viagens com a herdeira a tiracolo: “Tadinha, voces nao param nunca! Ela deve estar super cansada…” Minha filha?! Cansada?! Ela tem energia que nao acaba mais! Cansada to eu,  de gente que fica se intrometendo na minha vida 😉

 

Viagens com bebe – 7 liçoes aprendidas

A nossa primeira viagem carregando a “malinha” foi a Valencia no ano novo com um casal de amigos e o filhinho de 2 anos. Na pratica, me dei conta de varios aspectos de uma viagem que antes simplesmente passavam despercebidos e descobri que viajar com uma bebe de 1 mes e meio è bem mais facil do que eu pensava ( aliàs muuuuito mais facil do que viajar com uma criança de 2 anos.), salvo alguns detalhes:

Liçao 1 – nao interessa quantas conexoes vc precise fazer e quanto vc precise pagar por uma cia aerea decente. Ryanair nunca mais! Com ou sem criança! 

Depois de muito pensar, achamos que a Ryanair apesar de ruinzinha, nao seria uma mà escolha por ser mais ràpida (era o unico voo direto) e mais barata (mas ainda assim estava bem cara, pois era altissima temporada e a viagem foi organizada com menos de um mes de antecedencia)… Ledo engano! A economia de tempo e dinheiro nesse caso nao vale a pena!

Liçao 2 – fazer sempre um seguro em caso de cancelamento da viagem . Criança tem o poder de ficar doente nas horas mais inoportunas e nossa viagem quase foi pro espaço por causa de um resfriado mais forte.

Liçao 3 – se antes carregar pouca bagagem era uma comodidade, carregando a herdeira foi essencial. Bagagem na Ryanair è super regulada, bebes sò tem direito ao carrinho e mais nada, nem bagagem de mao, nem nenhum outro tipo de bagagem! Confesso que achei ruim no inicio, mas na hora dos controles no aeroporto, eu agradeci.

Acreditem, è um inferno administrar um bebe que chora desesperadamente com  o raio-x e abre mala, tira liquido, tira computador, fecha mala, o celular ficou no bolso, volta, tira o sapato, passa de novo, reabre mala, guarda tudo, fecha mala, a mala nao quer fechar pq tà muito cheia…

Liçao 4 –  cangurus e slings sao a melhor pedida quando se viaja com bebe em aeroporto. E sò embarcar o carrinho e ganhar maos livres e um bebe tranquilo pendurado em vc. Eu havia optado por um  “ring sling” por causa da praticidade na hora de colocar e tirar, mas depois de pouco tempo, minhas costas reclamaram. Entao eu jà providenciei uma faixa – daquelas sèrias com 7m – de carregar bebes e jà aprendi atè como amamentar com ela. O proximo aeroporto que me aguarde!

Liçao 5 – com um bebe è melhor entrar no aviao antes dos demais e ter mais espaço para se ajeitar (eu estava bem bonita sentadinha com a herdeira no colo que dormia serenamente), mas com uma criança de 2 anos è melhor entrar no aviao por ultimo (minha amiga nao sabia mais o que fazer para entreter o seu anjinho sentado enquanto esperava o embarque terminar).

Liçao 6 – colocar a mala de mao embaixo do banco e nao no compartimento acima. Por uma razao bem simples: toda hora vc vai precisar pegar alguma coisa da mala: um lencinho pra limpar alguma sujeira, um brinquedo pra distrair, uma coberta por causa do ar condicionado… A lista de possibilidades è infinita!

Liçao 7 –  com criança se viaja sempre na janela. Mas nao è por causa da vista, nao! E’ por uma questao de segurança: meu marido estava no corredor, quando uma criatura resolveu abrir o compartimento das bagagens e uma garrafa de refrigerante mal colocada caiu em cima dele. Meno male que a bebe estava no meu colo…

Achei que como primeira experiencia foi tranquilo, mas vamos ver como vai ser na proxima viagem, quando colocarei em pratica essas liçoes. E vou aproveitar pra viajar bastante enquanto a herdeira ainda tà pequena e eu nao preciso me preocupar com a segurança no quarto do hotel nem com birras em restaurantes…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...