Centro Cultural Heydar Aliyev

O novo cartao postal de Baku è um centro cultural que leva o nome do ex-presidente do Azerbaijao, Heydar Aliev (na realidade, quase tudo no Azerbaijao leva o nome do ex-presidente) e eu estava doida pra conhece-lo por causa de sua arquitetura futurista  projetada por Zaha Hadid. E a vontade sò aumentou quando vi a aquela estrutura fluida e branca, da janela do taxi, quando estavamos chegando em Baku.

IMG_0507

Antes da viagem, eu jà tinha feito o meu dever de casa e pesquisado no site do centro cultural quais seriam as exposiçoes e eventos na època da nossa visita e, pra dizer a verdade, nao encontrei nada que me interessasse. E’ um daqueles lugares em que o predio è a atraçao, o que tem dentro acaba ficando em segundo plano.

Meno male, porque a nossa visita foi um fracasso! Eu tinha programado para ir ao CC Heydar Aliyev numa tarde, na hora do soninho da herdeira. Pensei com os meus botoes: lugar grande, moderno, com ar condicionado… ela dorme tranquila no carrinho e eu passeio por tudo ainda mais tranquila.

DSC04852

Pegamos um taxi depois do almoço e là fomos nòs, sob um sol escaldante, e rodeados daquele monte de cimento branco  que refletia a luz solar e deixava tudo ainda mais quente. A arquitetura pode atè ser bonita, impactante, impressionante, coloque o adjetivo que voce preferir, mas por fora do centro cultural nao tem uma misera sombra pra se esconder, nem uma arvorezinha sequer.

E esse detalhe foi particularmente importante pois quando chegamos là, descobrimos que carrinhos de bebe nao podiam entrar no centro cultural. E nao è que o lugar onde se compram os bilhetes seja bonito e acolhedor: na-nani-nanao! Voce compra os bilhetes numa salinha minuscula, onde mal cabem as pessoas que vendem os ingressos, e a entrada propriamente dita fica em outra porta, com acesso pelo lado de fora.

IMG_0504

Nessa outra porta, tem um detector de metais logo de cara e è bem ali que o carrinho de bebe tem que ficar, ele nao chega sequer a passar pelo detector. Nao existe um lobby, um hall, ou qualquer coisa do tipo: ou è dentro, ou è fora sob o sol.

Bom, como nao dava pra usar o carrinho de bebe dentro do centro cultural e nao tinha nenhuma exposiçao que gostariamos muuuuito de ver, nos demos por satisfeitos com a arquitetura externa e resolvemos voltar pro hotel pra garantir o sono da herdeira.

Ah, eu nao vi nenhum ponto de taxi por ali. Nòs demos sorte de encontrar um taxi oficial que estava passando pela rua, senao a alternativa seria pechinchar a corrida com o cunhado de algum funcionario do centro cultural.

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *