Como nao chegar em Patmos

No post sobre Patmos, a Patricia – Turomaquia me perguntou como fizemos para chegar na ilha. A gente passou por um perrengue tao grande que eu tenho certeza de que nao sou a pessoa mais indicada pra sugerir meios de transporte pra la, sente o nosso drama:

Essa viagem para as ilhas gregas foi uma surpresa que o namorado quis me fazer, entao foi ele quem organizou toda a viagem. Quer dizer… quase toda! (Jà vou avisando logo para me eximir de toda e qualquer culpa! 🙂 )

Ele se diverte procurando hoteis e restaurantes, mas nao tem a minima paciencia pra organizar a parte logistica de viagem nenhuma. E pra piorar, os ferry boats nas ilhas gregas sao meio complicadinhos de coincidir, principalmente se muda a regiao das ilhas – das Ciclades pro Dodecaneso, por exemplo.

Nos fizemos Pireus – Mykonos de ferry boat, depois fizemos Mykonos – Santorini tambèm de ferry boat e atè aì foi facil. A partir de  Santorini a coisa comecou a complicar: tivemos que voar atè Atenas pra pegar outro voo atè Samos.

Samos è o aeroporto mais proximo de Patmos. E olhando no mapa, a distancia entre elas parece mesmo bem pouca. E, com isso, juntando essa “aparencia de perto” com a falta de paciencia do namorado em pesquisar, quase ficamos presos em Samos!

Olha o nivel: no aviao para Samos, o namorado disse que a viagem estava quase toda organizadinha, sò estava faltando um “detalhezinho”, coisa boba: o ferry boat de Samos pra Patmos que ele nao tinha conseguido reservar… Entao antes de qualquer outra coisa, teriamos que ir ao porto comprar nossos bilhetes.

Eu nao consigo organizar uma viagem para uma ilha sem saber como ou quando eu vou sair de là!  Me vem até brotoejas de nervoso… Mas o namorado estava tranquilo… Ele tinha lido na Lonely Planet que de Samos a Patmos tem 2 ferry boats diarios, e que è tao perto que, na pior das hipoteses, bastava pagar uns 50 euros para um pescador levar a gente…

Vai nessa! Apenas quando chegamos em Samos fomos descobrir que o Lonely Planet estava furaderrimo na informaçao: na alta temporada existe apenas um ferry boat por dia de Samos a Patmos e na baixa temporada existem apenas 2 ferry boats por semana. Isso mesmo: por se-ma-na!  Nao preciso nem dizer que è claro que as datas do ferry boat nao coincidiam com o dia que precisavamos dele!

Começamos a procurar alternativas… Em Samos vimos varias agencias de turismo que faziam passeios para Patmos. Tentamos todas! As tais agencias usam os ferry boat de linha pra fazer esses passeios…

Vimos no porto uns barcos com umas plaquinhas do tipo: “rent a boat” e tentamos todos… Diz a lenda, estavam todos ocupados com um evento no dia que queriamos…

Perguntamos para o concierge do nosso hotel…  A resposta era sempre a mesma ladainha: os ferry boats partem duas vezes por semana e os barcos privados estao ocupados no tal evento!

Apelamos para a guarda costeira de Samos (a que ponto nao chega o desespero!). De repente eles conheciam alguem ou alguma coisa que fosse pra Patmos no dia que queriamos.

A essa altura do campeonato, eu jà estava curiosando guias e fotografias pra ocupar 3 dias a toa em Samos… E nem tava achando tao ruim assim, afinal o maximo que poderia nos acontecer seria perdermos os dias que haviamos planejado em Rodes depois do tour em Patmos… Nao era o ideal, mas tambem nao era o fim do mundo! Samos era uma graça!

Mas o nosso anjo da guarda costeira nos arrumou um fulano que estava disposto a nos levar de barco a Patmos por mòdicos 500 euros! Era pegar ou largar!

transportepatmos1

Pegamos! E là fomos nòs a Patmos, 500 euros mais pobres, num tipico barco grego, com um tipico capitao grego e sua tipica excelentissima esposa grega, que sabiam meia duzia de palavras em ingles! A viagem que demoraria uma hora e meia, no maximo, de ferry boat, demorou quase 4 horas naquele barco verdinho…

Apesar da demora, a viagem foi bem tranquila e divertida, com direito a golfinhos que nos seguiam e o visual do litoral da Turquia que nos acompanhou por um bom pedaço…

Foi uma experiencia e tanto! Mas digamos que essa nao è a opçao mais “conveniente” para se ir de Samos a Patmos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

21 thoughts on “Como nao chegar em Patmos

  • 27/05/2009 at 13:24
    Permalink

    Dio santo! Isto que eu chamo de saga! Mesmo na alta temporada os ferrys mudam de horário, é uma loucura, mas existe uma maior frequência!
    beijos

    Reply
    • 03/06/2009 at 21:32
      Permalink

      Oi Patricia,
      Sabe que eu entendi pq as ilhas gregas é destino de mochileiros que viajam de ilha em ilha sem destino, ou de cruzeiros… Organizar os ferrys é uma funçao!
      Mas faz parte do divertimento! 😉
      Bjs

      Reply
  • 27/05/2009 at 15:38
    Permalink

    Realmente o título do post descreve bem essa saga. Não consigo nem imaginar!!! Pensando pelo lado positivo, agora você tem uma boa história para contar e rir.

    Eu tb sou todo organizado com a logística e com certeza as ilhas gregas não são o lugar ideal para ir sem planejamento, a não ser que você tenha muito tempo.

    Reply
    • 03/06/2009 at 21:39
      Permalink

      Oi Alessandro
      Eu sou super organizada com qq viagem. Tento nao descuidar de nenhum detalhe importante, pois meu tempo é muito precioso pra ser desperdicado tentando descobrir “como se faz para…”
      Mas toda viagem rende umas boas historias pra contar e rir! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 27/05/2009 at 22:00
    Permalink

    Uma boa alternativa seria ter ido nadando ou apanhar uma boleia de um golfinho…hehe 🙂
    Se tudo isto não tivesse acontecido não teria matéria para este post tão engraçado…pode agradecer por mim ao seu namorado porque me diverti imenso a lê-lo! 🙂

    Bjs
    Ps:Eu,em matéria de viagens, nunca deixo o maridão tratar de nada…mentira, deixo-o carregar as malinhas…hehe

    Reply
    • 03/06/2009 at 21:47
      Permalink

      Que malvada, Margarida!
      Tem que colocar o maridao pra participar dos planejamentos!
      Se bem que o namorado, a cada viagem, me delega mais e mais funcoes de planejamento…
      Acho que ele nao faz muita questao de organizar nada, nao… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 28/05/2009 at 00:40
    Permalink

    Nossa! Amei este post! Isto é que eu chamo de fazer do limão uma limonada! Tá hilário! Só acho que por 500 euros eu ainda estaria em Samos até hoje!
    Abç,

    Reply
    • 03/06/2009 at 21:50
      Permalink

      Ola Luciana M.
      Por mim, eu tb estaria em Samos até hj! Achei um roubo… Mas, o namorado nao podia fazer feio, né? Orgulho masculino! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 28/05/2009 at 04:44
    Permalink

    Luisa,
    você escreveu de um jeito tão diferente…gostei!
    São desses perrengues que a gente se lembra…é bom ter história pra contar…

    Reply
    • 03/06/2009 at 21:57
      Permalink

      Oi CarlaZ
      Perrengue faz parte de toda viagem, ne? Na hora dá uma raiva enorme ou vem um desespero… mas depois, quando tudo se ajeita, é só risadas! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 29/05/2009 at 13:15
    Permalink

    Que coisa complicada, meu Deus!!!!!!
    Quando estive rodando nessas ilhotas gregas menores, fiz um longo trajeto de navio: Atenas, Patmos, Rodes, Mikonos, Santorini e Creta. Foi bem tranquilo, pois o barco era muito confortável. Viajavamos de noite e ficavamos atracados na ilha de dia.
    Talvez um pequeno cruzeiro, como esse, ajude na logística.
    Bj
    Claudia

    Reply
    • 03/06/2009 at 22:12
      Permalink

      Oi Claudia,
      Um cruzeiro ajuda e muito na logistica, facilita demais a vida do turista, mas tem um inconveniente que eu nao suporto: passar um dia só na ilha. Ou entao ficar amarrada aos horarios do navio…
      Eu gosto de decidir por conta propria para onde vou e quanto tempo pretendo ficar, por isso nem cogitamos a ideia de um cruzeiro…
      Passei la no teu blog e nao vi nenhum post sobre a Grecia… Vc já escreveu alguma coisa a respeito? Eu iria adorar ler a tua versao sobre as ilhas e, principalmente, sobre o cruzeiro…
      Bjs

      Reply
    • 03/06/2009 at 22:13
      Permalink

      Oi Gi,
      Vivendo e aprendendo, né? 🙂
      Bjs

      Reply
  • 23/06/2009 at 10:41
    Permalink

    Fala sério? 500 euros? Não dava para dormir na praia em “plan” romântico?
    Eu já viagei para as ilhas, mas eram as mais próximas de Atenas e tinha barcos e ferrys a toda hora, não tivemos nenhum problema sério…

    Reply
    • 08/07/2009 at 21:56
      Permalink

      Oi Glenda,
      Eu tb achei um roubo, mas chegou a um ponto que o problema nao era nem o dinheiro… Era questao de honra pro marido!
      E eu só achando graca, é claro!
      Bjs

      Reply
  • 11/05/2010 at 00:52
    Permalink

    Olá,

    Tive que dar muita risada com esta saga (pimenta nos olhos dos outros, rsrsrs). Estou planejando uma viagem p/ Patmos partindo da Turquia (Kusadasi/Kossandes), e pelo vi a melhor rota seria mesmo via Samos. Confesso que fiquei assustado, e ao mesmo tempo curioso com seu relato . Você tem algum contato da empresa que faz o trajeto SAMOS até PATMOS, para eu conseguir comprar as passagens c/ antecedência? Obrigado pela ajuda e parabéns pelo site! Que inveja 🙂

    Reply
    • 17/05/2010 at 09:50
      Permalink

      Oi Oliveiros Jr
      Poxa, eu nao me lembro o nome das companhias pq deixamos para comprar os bilhetes na hora e deu no que deu…
      Em Samos tem vàrias agencias de turismo que vendem os bilhetes para Patmos. È bem fàcil, o ùnico problema è que o tal barco nao è diario na baixa temporada. Se vc for na alta temporada nao vai ter esse tipo de problema.

      E com relaçao às ilhas, depende do que vc tà a fim de visitar. Mykonos è mais praia e balada, Santorini tb è praia, mas è mais romantica e Rhodes tem muita historia para contar…. Vai do gosto…
      Bjs

      Reply
  • 11/05/2010 at 01:01
    Permalink

    Outra coisa: depois de Patmos teremos tempo para uma ilha apenas (escolha difícil…). Tenho visto que as mais populares são: Mykonos, Santorini, Rhodes (não necessariamente nesta ordem). Se tivesse que escolher uma só qual seria? Só para lembrar, o reteiro total é: TURQUIA / PATMOS / 1 Ilha / PIRAEUS. Obrigado.

    Reply
  • 02/01/2012 at 23:23
    Permalink

    Ola,como esta?
    nao te conheço mas gostaria de conhecer e saber mais sobre patmos,tenho vontade de ir aonde joão escreveu o livro do apocalipse.
    se Deus quiser eu vouuuuuuuu
    deve ser bom de mais ne?

    me mande um email
    heroncosmo@gmail.com

    att
    rodrigo

    Reply
  • 02/10/2014 at 14:15
    Permalink

    Olá Luisa,

    nossa que história essa a sua! Que bom que deu tudo certo no fim! Realmente, chegar de uma ilha para outra não é a coisa mais fácil no nosso país! Sou Grega-Brasileira e morei entre os dois países minha vida inteira, vindo para a Grécia de turismo todo ano quando ainda morava no Brasil. De muito longe a melhor maneira de conhecer as Ilhas Gregas é a bordo de um iate!! Se engana quem acha que é só para milionários, existem várias opções, para todos os gostos e bolsos. Ou então um cruzeiro a bordo de um Super/Mega Iate também é super interessante pois é uma mistura de cruzeiro convencional com a vida bordo de um iate de luxo. E por ser iate, ele chega em lugares que um navio convencional não chegaria e faz pernoite em ilhas, etc.
    Espero que dá próxima vez no nosso lindo país você tenha mais sorte 🙂 Se precisar de ajuda, me avise, trabalho com turismo marítimo na Grécia e Mediterraneo. Bjs!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *