Dilemas etico-turisticos

Estou em fase de organizaçao de uma viagem para a Tailandia e me deparei com um problema etico-turistico: visitar ou nao a cidade das mulheres girafas?

O que mais me fascina nas viagens è a possibilidade de aprender um pouco de uma outra cultura, tentar compreender como as pessoas vivem, o que è importante para elas, no que elas acreditam, o que elas comem, como se vestem… E nesse mundo globalizado (alguns jà falam atè de “homogeneizaçao cultural”), acho muito importante preservar a identidade e a cultura de um povo.

Mas atè que ponto essa preservaçao da cultura faz sentido?

Quando visitei os Uros em suas ilhas flutuantes no Peru, pra mim ficou evidente que eles sò mantem aquele estilo de vida porque existem turistas dispostos a pagar para ve-los.  Tive a mesma impressao com a aldeia Masai que visitei na Tanzania.

Em ambos os lugares tive a sensaçao de que se nao fosse o interesse dos turistas em pagar para ver o “diferente”, essas culturas seriam apenas recordaçoes em livros de historia.

Quando se trata tao somente de manter viva – ainda que de modo forçado – uma identidade cultural referente a um estilo de vida como a moradia ou a vestimenta, nao vejo tanto problema em promover o turismo ( mesmo que, visitando esses dois lugares, tenha me sentido meio mal, como se estivesse num zoo humano).

Em ambos os casos, bem ou mal, as pessoas eram livres para morar em outro lugar ou se vestir de outro modo, se assim quisessem. Aquelas culturas nao me pareceram causar um sofrimento maior às pessoas alem daquele jà causado pela pobreza e pela desigualdade social do pais.

Mas e no caso das mulheres girafas? Aqui nao estamos falando tao somente de um “estilo de vida”, mas sim de uma deformaçao permanente no corpo dessas mulheres.

E eu me pergunto: serà que essa cultura tambem sò sobrevive porque existem turistas que pagam para ve-la? Atè que ponto vale a pena preservar uma cultura que deforma o corpo?

Se eu for defender a ferro e fogo o relativismo cultural e afirmar que todas as culturas tem seu valor e merecem respeito, como faço para justificar a aversao que sinto quando penso em culturas que mutilam clitoris de adolescentes?

Mas se eu pensar que nem todas as culturas merecem ser preservadas em respeito ao ser humano, onde colocar o linha divisoria?

As  mulheres girafas onde se enquadrariam? Visitando a cidade delas, eu estaria ajudando o ganha-pao de uma comunidade e preservando uma identidade cultural ou estaria promovendo a manutençao forçada de uma cultura barbara que jà deveria ter sido extinta?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 thoughts on “Dilemas etico-turisticos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *