Do metafisico ao surreal

Um belo dia fomos convidados para a inauguraçao da mostra “Uno sguardo nell’invisibile” no Palazzo Strozzi de Firenze. Adoramos o convite, pois uma viagem a Firenze nunca è demais e ainda por cima veriamos “de gratis” uma bela mostra com direito a um coquetel depois…

Quer dizer… isso era o que eu imaginava que seria a tal inauguraçao! Chegamos no horario marcado, là estava eu com meu pretinho basico, e na porta do Palazzo Strozzi alguns seguranças que conferiam os convites. Foi inevitavel: me achei chique!

Mas comecei a perceber que os convidados eram de diversas nacionalidades de americano a alemao, passando por franceses e varios sotaques italianos e que nao eramos mais que umas 25 pessoas… Nunca tinha ido a uma inauguraçao antes, portanto nao sabia o que me esperava, mas, pelo estilo dos outros convidados, comecei a achar o lugar “exclusivo” demais e eu jà nao tinha nada de chique.

Depois de alguns minutos, veio uma moça muito gentil pra dizer que o Sr. X jà estava chegando pra começar a visita. A desinformada aqui nao tinha a menor ideia de quem fosse esse senhor, mas tudo bem. Imaginei que fariamos uma visita guiada e que o tal Sr. X  fosse o guia.

O Sr. X chegou e a ficha caiu. Os convidados para a inauguraçao eram os representantes dos museus e os colecionadores privados que emprestaram as obras para a mostra e eu! E o Sr. X nao era ninguem menos que o fulano que escreveu todos os cartazes explicativos e que fez os audio-guias para a mostra!

Fazer uma visita a um museu onde o guia è o responsavel direto pela mostra em questao e o grupo è formado pelos proprietarios das obras è algo que foge à minha compreensao e por mais que me esforçasse nao conseguia entender como euzinha fui parar ali no meio!

Nao preciso dizer que foi a visita mais espetacular que jà fiz a um museu. Ter um guia que sabe realmente do que tà falando e explica o pq aqueles quadros especificos foram escolhidos e pq foram colocados naquela ordem faz toda a diferença para a compreensao da visita.

Saì da visita maravilhada, deslumbrada e me esforçando para fazer cara de paisagem. Todo mundo ali com um ar blasè, como se aquilo tudo fosse a coisa mais normal do mundo, e eu me esforçando para nao destoar tanto do ambiente… Jà estava atè me preparando psicologicamente para o coquetel que teria em seguida…

Mas nao teve coquetel nenhum! Em seguida fomos ao Teatro Odeon para a abertura oficial da mostra! Isso mesmo: a visita que fizemos foi exclusivissima, antes da inauguraçao! A inauguraçao propriamente dita ainda nao tinha começado!

Na frente do Teatro era uma confusao de gente que dava medo e nòs nos colocamos no final do que se parecia com uma fila para esperar a abertura da porta. A mesma moça gentil de antes nos viu na fila e pediu para que a seguissemos, pois entrariamos por uma porta lateral e os nossos lugares estavam reservados na primeira fila!

Là vou eu com meu pretinho basico e minha cara de paisagem tentando achar tudo aquilo normal… O nosso “guia” fez o discurso de abertura da mostra, mais 2 pessoas que estavam no “nosso grupo” fizeram os seus discursos e, em seguida, fomos ao coquetel.

Vinho branco, comidinhas e conversas com gente que vive da arte sobre assuntos completamente fora do meu dia-a-dia: o ultimo leilao Sotheby’s, o proximo leilao Christie’s (ou ao contrario), o quadro X que apareceu no catalogo Y, o otimo/pessimo investimento que foi a obra daquele autor…

Quando eu achava que a inauguraçao tava acabando, là vem a moça gentil de novo avisar que estavam nos esperando no Hotel Bristol para o jantar. Jantar? Que jantar? Sei là! Mas eu jà nao me assustava tao facil e, assim, eu, meu pretinho basico e a minha cara de paisagem fomos para o tal jantar…

O nome do post se deve ao fato de que a mostra que fomos visitar è sobre o pintor italiano Giorgio De Chirico, (o primeiro a se utilizar do nome “metafisico” para designar  suas obras), e sobre como a pintura metafisica de De Chirico influenciou importantes nomes do Surrealismo como Magritte e Max Ernst. Mas surreal mesmo foi a minha presença nesse evento!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

12 thoughts on “Do metafisico ao surreal

    • 08/03/2010 at 17:27
      Permalink

      Que delicia, Patricia!
      Espero que vc tenha aproveitado muito Firenze!
      Enquanto vc estava vindo pra cà, eu estava escapando pro Brasil! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 02/03/2010 at 23:21
    Permalink

    Isso é que foi uma visita bem especial!! 😉
    Eu que sou fã de museus adoraria ter estado lá…vou preparar um pretinho básico e uma cara de paisagem, para o caso de um dia receber um convite desses…hehe…nunca se sabe…afinal vc também não sabe como foi parar lá…mas foi!! 🙂

    Bjs

    Reply
    • 08/03/2010 at 17:30
      Permalink

      Oi Margarida,
      Sabe que sou uma mulher compacta para arrumar malas, mas sempre levo comigo o pretinho basico e a cara de paisagem!!
      Nunca se sabe… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 04/03/2010 at 22:01
    Permalink

    Quem me dera ter tido essa sorte toda e ter também direito a uma visita tão exclusiva num museu e exposição, ainda para mais em Itália.
    Bjo

    Reply
    • 08/03/2010 at 17:37
      Permalink

      Oi docesparagens
      Eu realmente nao tenho do que me queixar da sorte! 😉
      Bjs

      Reply
  • 07/03/2010 at 14:19
    Permalink

    ADOREI sua visita inusitada! Ainda não aconteceu…mas acho que me adapto fácil, seja no meio da mata ou num lugar chique como este (rs, rs, rs). Li seu post sobre a visita a Goiás Velho. Moro no Brasil e também já estive lá (até conversei com Cora Coralina!). Também registrei num post outra viagem que fiz a um patrimônio cultural da Unesco: Ouro Preto. Sou bióloga e meu lema é viajar….essas viagens culturais me encantam e não saem da memória jamais! Ainda bem…. Bjs e Bon Voyage

    Reply
    • 08/03/2010 at 17:40
      Permalink

      Oi Beatriz
      Sabe que depois que comecei a viajar de verdade, fiquei muito mais flexivel e me adapto bem em qq lugar…
      Quer dizer… eu vou reclamar um pouco se tiver que ir pro meio da mata… mas nao deixo de ir!! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 18/02/2011 at 02:11
    Permalink

    Luisa,
    Sou brasileira e moro em Belo Horizonte. Amo de paixão a Itália e estou sempre procurando sites e blogs que falem desse país. Estou adorando ler seus comentários sobre as viagens que faz. Já fui à Itália , fiquei um mês e viajei bastante de norte a sul. Mas foi tudo muito corrido. Gostaria de voltar com mais calma, menos fome de ver tudo de uma vez.Mas foi a realização de um sonho antigo. Já tenho 60 anos e sou neta de italiano. Tenho um amor ancestral por esse país. Não me canso de ler e ver videos e filmes e assim viajar virtualmente por esses lugares maravilhosos… De agora em diante, vc será minha fonte. Um dia, eu volto! Estudo a língua e já dá pra me comunicar bem.
    Um abraço, muita saúde e muita paz.
    Consolação.

    Reply
    • 18/02/2011 at 11:42
      Permalink

      Oi Consolaçao
      Obrigada pelo gentil comentario!
      Tem que voltar mesmo pra Italia, e tem que voltar varias vezes, pra poder explorar cada regiao com calma!
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *