Huayna Picchu

Na viagem a caminho doo Parque Nacional de Manu, logo no inicio da nossa viagem ao Peru, topamos com uma familia sueca que resolveu nos dar muitas “dicas” dos lugares para onde ainda iriamos. Uma delas era: “escalar o Huayna Picchu”. Segundo a tal familia, “è uma experiencia incrivel, um must do, um lugar impressionante, è o que tem de mais bonito em Machu Picchu, etc, etc, etc..!”

huayna3

Para minha infelicidade, o marido se entusiasmou com a ideia e, è claro, me convenceu a ir.

O Huayna Picchu è aquela montanha mais alta que aparece nas classicas fotografias de Machu Picchu, cujo topo està a 2700 metros acima do nivel do mar ou a 360 metros acima das ruinas de Machu Picchu. Mas a dificuldade da coisa nao se limita à escalada nessa altitude e num terreno ingreme e escorregadio…

huayna4

O problema maior è que apenas 400 pessoas por dia estao autorizadas a subir no Huayna Picchu, entao o mais dificil è fazer parte desse seleto clube de 400 “felizardos”, pois os ingressos nao sao vendidos antecipadamente. O esquema è: quem chegar primeiro, leva!

Pois bem, os portoes de Machu Picchu abrem às 6 da manha, e às 5h30 a fila jà està se formando… Às 06 em ponto, a fila já está dando voltas e, com certeza, já tem mais de 400 pessoas esperando.

huayna7

Sò existem tres modos de se chegar là antes das 06h: a pè, pela trilha inca; dormindo em Aguas Calientes e pegando o primeiro onibus para Machu Picchu; ou entao pagando a exorbitante diaria do Sanctuary Lodge Hotel, que fica bem do ladinho da porta de entrada. Mas nao basta chegar cedo…

Quando os portoes de Machu Picchu se abrem, tem inicio uma corrida desesperada para atravessar as ruinas e pegar um bom lugar na proxima fila. Quem nao fez o dever de casa direitinho e nao estudou o mapinha das ruinas corre o risco de errar o caminho e perder posiçoes preciosas na fila de Huayna Picchu.

huayna2

Chegando na tal fila, só resta recuperar o folego e rezar para que nao tenha mais de 399 pessoas na tua frente. Na bilheteria, eles distribuem os famosos 400 “bilhetinhos”, divididos em dois horarios: 200 para a turma das 07h e 200 para a turma das 10h. Quem chega antes, pode escolher o horario que preferir; quem vai chegando depois, pega o que sobrar e quem chega tarde, chupa o dedo.

huayna5

A nossa maratona foi assim: nòs dormimos no Sanctuary Lodge, às 5h30 da manha já estavamos na fila, corremos feitos uns doidos com o mapinha de Machu Picchu em maos para nao errarmos o caminho e conseguimos escolher os bilhetinhos para a turma das 10h, mas nossos numeros eram 383 e 384. Por pouco!

Escolhemos a turma das 10h porque toda Machu Picchu estava recoberta de neblina e eu iria me matar – ou melhor, mataria o marido – se eu tivesse que subir tudo aquilo pra nao ver nada!  Aproveitamos para visitar Machu Picchu vazia enquanto esperavamos nosso horario de escalar a montanha e ás 10h em ponto comecou o meu suplicio, quero dizer, o passeio.

huayna6

Levamos pouco mais de uma hora para chegar ao topo, contando as muitas paradas estrategicas para tomar agua, respirar e tirar fotos. Nao é dificil subir Huayna Picchu, o problema é que os “degraus” escavados na rocha sao muito irregulares e muito ingremes e cansa bastante. Mas é só ir devagar e parando pelo caminho que até uma sedentaria e fresca como eu consegue.

Gostei de ter subido no Huayna Picchu simplesmente porque a minha curiosidade sempre falou mais alto que a minha frescura e eu nao admitiria ir até lá, ter a oportunidade de subir e acabar voltando pra casa com a eterna duvida: “Será mesmo que o lugar é tao impressionante assim?”

huayna1

A vista lá de cima é bem bonita e as ruinas que ficam no topo sao interessantes, mas sinceramente nao achei que a relacao custo-beneficio valha a pena. É muito cansaco pra pouco aproveitamento.  O marido, é claro, tem uma opiniao bem diferente da minha. Pra ele, a escalada valeu muito, adorou tudo, foi impressionante, um must do, etc, etc, etc…

No final das contas, acho que o grau de satisfacao com Huayna Picchu será diretamente proporcional ao preparo fisico de quem o escala. Provavelmente eu teria adorado o lugar, se nao estivesse com a lingua de fora e com medo de escorregar o tempo todo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

29 thoughts on “Huayna Picchu

  • 09/09/2009 at 00:37
    Permalink

    Luisa, eu nem cogitei escalar o Huayna Picchu – bom, há 2 anos, quando fui ao Peru, tinha tido uma crise de hérnia de disco há pouco tempo, acho que o meu ortopedista me esganaria se eu fizesse uma “arte” dessas… 😉 Mas, mesmo sem ter experimentado, eu compartilho a sua opinião de que a relação custo-benefício não é tão boa assim… Acho muito possível ignorar o “must do” e amar Machu Picchu mesmo assim! 😀

    Reply
  • 09/09/2009 at 04:20
    Permalink

    Luisa, eu fui bem preguiçosa e também nem cogitei a escalada. Ainda bem que você não falou que era imperdível! 😉

    Agora quero saber mais dessa sua viagem ao Peru!

    Reply
  • 09/09/2009 at 21:47
    Permalink

    Luisa

    Como é que teve tempo de ir á Tanzania e ao Peru em tão pouco tempo! Acho que vc é mesmo uma viajante e tanto…hehe 🙂
    Tenho muitas dúvidas que depois desta escalada possa continuar no grupo das “urbanas,sedentárias e frescas” como eu 😉
    Adoraria ir ao Peru,mas nunca pensaria em me meter em semelhante aventura ( o levantar ás 5 h da manhã também não me agradou muito…eheh)!

    Bjs
    Ps:fico a aguardar mais posts sobre o Peru!

    Reply
  • 10/09/2009 at 04:12
    Permalink

    Luisa, o que eu mais gostei nessa sua empreitada de subir o Huayna Picchu é que você ficou hospedada no Sanctuary Lodge!
    As fotos, como sempre, ficaram lindas!
    Quanto à distribuição de senhas para a subida, o meu guia explicou outra coisa! Depois vou colocar as suas informações sobre isso lá no blog (com as devidas referências, claro!).
    Bjs,

    Reply
  • 11/09/2009 at 10:24
    Permalink

    Oi Carla,
    Eu tb tinha a mesma opiniao que vc. Mesmo antes de subir eu já sabia que a relacao custo beneficio nao seria boa…
    Mas o marido queria pagar pra ver… Entao lá vou eu, na alegria e na tristeza, na saude e na doenca… 🙂
    Bjs

    Reply
  • 11/09/2009 at 10:27
    Permalink

    Oi Camila,
    Bom, pra mim nao foi imperdivel… Mas tem quem goste…
    Tem gosto pra tudo, ne? 🙂
    Bjs

    Reply
  • 11/09/2009 at 10:30
    Permalink

    Oi Margarida,
    Nem me fale, esse ano eu mais viajei do que qq outra coisa… Nao foram só o Peru e a Tanzania nao… Ainda consegui ir pra Grecia, pra Franca, uma escapada pro Brasil e algumas viagens de fim de semana pela Italia…
    Mas esse segundo semestre tá mais tranquilo… preciso de tempo para programar as proximas, né?

    Bjs

    PS – Não me exclua do clube! Prometo melhorar! 🙂

    Reply
  • 11/09/2009 at 10:38
    Permalink

    Oi Lu,

    O Sanctuary Lodge só é caro (e poe caro nisso) e nao vale o que custa!
    Já fiquei em muito hotel 4 estrelas bem melhor que esse.
    Alias, quase nao conseguimos chegar no hotel, pq pegamos o ultimo trem pra Aguas Calientes e nao tinha mais onibus pra Macchu Pichu e o hotel nao dispoe de transporte para os hospedes, acredita?
    Depois de muita conversa, conseguimos convencer o onibus que levaria os empregados ao hotel no final do dia a nos esperar para pegarmos uma carona…
    A vantagem é a localizacao ao lado das ruinas e poder almocar tranquilamente no restaurante a la carte inacessivel aos nao hospedes.
    Bjs

    Reply
  • 13/09/2009 at 21:36
    Permalink

    Luisa,

    Essa é uma experiência diferente do Machu Picchu que eu ainda não tinha ouvido falar. Gostei, mas por incrível que pareça, não sei se faria… Ache que aproveitaria meu tempo simplesmente nas ruínas, curtindo o visual.

    Existe um tempo máximo para se ficar lá em cima?

    Abs,

    Reply
  • 15/09/2009 at 17:06
    Permalink

    Olá Luísa,
    cheguei ao seu blog por pesquisas e gostei muito. Vc poderia me passar seu e-m para contato direto? Obg.

    Reply
  • 18/09/2009 at 04:06
    Permalink

    Oi, Luisa!

    Bom ler o relato de alguém que efetivamente subiu o Huayna Picchu. Depois de fazermos uma trilha em Pisac, minhas amigas pensaram em subir lá, mas, depois de tantos dias de passeio, acabaram desistindo…

    Eu nem cogitei! Tenho um problema com essas trilhas, nem é a altura que me incomoda, mas as passagens muito estreitas… E a asma me atacou nessa viagem. Sabe que viajar pro Peru me serviu de alerta pra cuidar melhor da saúde? Vi pessoas com o dobro da minha idade fazendo os passeios com uma dificuldade semelhante à minha, o que me levou à conclusão de que, quando eu chegar à idade delas, não terei o mesmo pique… Desde que voltei, incluí exercícios aeróbicos na minha rotina e tenho cumprido religiosamente o programa, sempre me lembrando das montanhas peruanas!

    É claro que o passeio a Machu Picchu valeu mesmo sem esse a escalada do Huayna Picchu. Quem sabe, um dia, quando eu voltar lá com uma condição física melhor…

    Reply
  • Pingback: Machu Picchu: informações úteis « Cadernos de Viagem

  • 19/09/2009 at 23:19
    Permalink

    Que incrível!! É a primeira vez que vejo um post sobre Huayna Picchu!! Não tinha nem certeza se isso existia mesmo… Um dia conhecí um peruano num congresso e o mesmo me disse sobre Huayna Picchu, mas depois dele, nunca mais ouví dizer.

    Muito legal a subida, o dia que eu for, farei o possível para estar entre os 400 agraciados! Adorei as fotos!! Muito interessante ver Macchu Pichu de outro ângulo!

    Bjos!!

    Reply
  • 25/09/2009 at 06:20
    Permalink

    Luisa,
    não sabia que existia essa escalada não…sempre coisas novas pra aprender…

    Reply
  • 27/09/2009 at 12:08
    Permalink

    Oi Luisa!
    Esse é um dos lugares que é difícil acreditar que realmente existem e que um dia visitaremos. Voces tiveram a chance, mesmo sendo 383 e 384 e com todas as dificuldades que vocês enfretaram! 🙂
    Acho que os “traumas” no fim das contas não superam os “prazeres” e seria mesmo muito pior não subir e arrepender por toda a vida. Com minha esposa pensamos sempre assim também. Férias acabam sendo mais cansativas que o período de trabalho, porque queremos aproveitar ao máximo. Mas vocês nos trouxeram um belo texto e fotos incríveis na bagagem! Paga sempre o preço.
    Boa semana e muita paz sempre para vocês!!
    Michel
    http://www.rodandopelomundo.com

    Reply
  • 28/09/2009 at 04:38
    Permalink

    Luisa,
    Decepção total com o Sanctuary Lodge! Pensei que ele fosse ótimo!
    Ainda bem que Machu Picchu é lindo!
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:15
    Permalink

    Oi Carol,
    Eu até tinha lido a respeito de Huayna Picchu, antes de ir, mas nao foi o tipo da coisa que me chamou muito a atencao…
    Pra mim, só as ruinas já estavam de bom tamanho, mas depois de ouvir o relato animado do pessoal que encontramos pelo caminho, o marido quis pq quis subir!
    Eles dizem que o tempo maximo de permanencia é de duas horas, mas nao tem ninguem controlando e te mandando embora caso vc supere isso; mesmo pq nao tem o que ficar fazendo lá em cima por todo esse tempo.
    Acho que eles estabeleceram esse tempo com base no tempo medio que as pessoas ficam por lá… Antes de subir, todo mundo tem que assinar um livro de controle,com o horario da subida e quando desce, tem que dar baixa no livro e anotar o horario que saiu.
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:19
    Permalink

    Oi Wanessa,
    Sabe que eu tb voltei do Peru me achando uma velha fora de forma! Eu nao me conformava que pra subir 3 degraus já ficava com a lingua de fora!
    Tá certo que a altitude colaborava muito para a falta de folego, mas eu tb já acrescentei exercicios aerobicos na minha rotina. Deus me livre de virar uma velha cansada! 🙂
    Bjs e obrigada pela citacao no seu blog

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:21
    Permalink

    Oi Fe,
    Se esse é o teu tipo de passeio, vai com fé que vc vai amar! Só se lembre de programar tudo direitinho, pq a concorrencia é grande!
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:22
    Permalink

    Oi CarlaZ
    Acho que é isso que eu mais gosto nas viagens: descobrir lugares que eu nem imaginava que pudessem existir e, às vezes, pertinho de alguma coisa super famosa!
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:26
    Permalink

    Oi Michel
    Eu sempre digo que preciso de ferias das ferias! Volto pra casa exausta, pq pra mim viajar nao é sinonimo de descansar; quando viajo nao paro um minuto. E que cansaço bom! 🙂
    Tb acho que é muito pior se arrepender de nao ter feito algo que poderia ter sido feito. E por isso vivo me metendo em programas de indio! 🙂
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 10:27
    Permalink

    Oi Lu
    O Sanctuary Lodge só é bom pela localizaçao, mas nao vale o que custa. Mas, como eles ficam do ladinho das ruinas, podem cobrar o que querem e estao sempre lotados!
    Bjs

    Reply
  • 01/10/2009 at 13:59
    Permalink

    I don’t know If I said it already but …Great site…keep up the good work. 🙂 I read a lot of blogs on a daily basis and for the most part, people lack substance but, I just wanted to make a quick comment to say I’m glad I found your blog. Thanks, 🙂

    A definite great read..Jim Bean

    Reply
  • Pingback: O que fazer em Machu Picchu | Turomaquia

    • 09/03/2012 at 10:48
      Permalink

      Obrigada, Natalia!
      E viva a curiosidade que nos manda sempre para os melhores programas de indio! 🙂
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *