Ice Hotel na pratica – dormindo no gelo

No tour para as explicaçoes sobre como dormir num quarto de gelo o pessoal do hotel aconselha que, como pijama, vc use a tua roupa intima termo-isolante, meias de la ou sinteticas, e sugerem que, para ir do vestiario ao quarto, vc use as botas do hotel, para que os teus sapatos nao amanheçam congelados. Tudo muito bonito na teoria.

Na pratica, a coisa nao è tao bonita. Pra inicio de conversa, acho que o nome “Ice Hotel” è propaganda enganosa. Deveria se chamar “Ice Acampamento”. Sim, serà o acampamento mais caro e luxuoso do mundo, mas nao passa disso: um acampamento gelado.

Funciona assim: vc vai atè a recepçao pegar teu saco de dormir mega ultra tecnologico, deixa a tua dignidade no vestiario e sai correndo no frio, com o saco de dormir debaixo do braço, de roupa intima e botas, atè chegar no teu quarto.

No quarto, vc estende o teu saco de dormir em cima da cama o mais rapido possivel, tira as botas mais rapido ainda e se enfia  no saco de dormir, deixando sò o nariz de fora.

Aì vc se lembra que tem que apagar a luz do quarto. Com muita mà vontade, vc tira um braço do quentinho e começa a apalpar a lateral do cubo de gelo que è a tua cama a procura do interruptor. Eu nunca tinha calculado quanto tempo eu demoro para apagar uma lampada em casa, mas ali me pareceu uma eternidade.

Com a luz apagada, vc tenta dormir. Como o quarto nao tem porta, è sò uma cortininha mequetrefe, vc escuta e ve as botas de todo mundo correndo pelos corredores para chegar no quarto o quanto antes.  Vc releva, afinal, vc acabou de passar pela mesma situaçao…

Dali a pouco, tudo se acalma, o silencio reina  e vc tenta dormir de novo. Eu nao consegui dormir quase nada pq nao consigo me adaptar ao saco de dormir, por mais tecnologico que seja. Mas uma coisa è certa: frio eu nao passei!

As 07:30 da manha, um empregado do hotel entra no teu quarto para te acordar com um chazinho quente. Sò a ideia de tirar o braço pra fora do saco de dormir para tomar o chà me dava, literalmente, arrepios.

(De manha è quando surgem as maiores contradiçoes: dentro do saco de dormir està ruim, mas fora dele è pior. Quero sair daqui o quanto antes, mas nao quero sair daqui do quentinho.)

Atè pensei em enrolar um pouco mais pra levantar, afinal o check out è às 11h da manha… O problema è que as visitas guiadas no hotel começam antes das 11h e se vc nao quiser aparecer no facebook de algum japones, convem sair da cama logo.

Para sair da cama a cena ridicula se repete: vc deixa a dignidade no quarto, pega o saco de dormir e sai correndo no frio, de roupa intima e botas congeladas, atè o vestiario.

Como todo mundo acordou na mesma hora, o vestiario està lotado de gente com botas congeladas e roupas intimas, que  procuram desesperadamente a dignidade que ficou no armario na noite anterior. Aqueles que a encontraram primeiro disputam um chuveiro livre.

Agora dou boas risadas da situaçao toda, e pensando bem, foi atè uma experiencia interessante. Mas outra dessa nao pega de jeito nenhum. Nao tenho mais idade pra isso!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

28 thoughts on “Ice Hotel na pratica – dormindo no gelo

  • 02/02/2012 at 15:04
    Permalink

    Realmente, você conseguiu fazer passar minha vontade de ter esta experiência… Não só não tenho mais idade pra isso, como nunca gostei da vibe Camping, nem quando era mocinha… 😉

    Reply
    • 02/02/2012 at 18:38
      Permalink

      Viu, Marcie, nem foi tao dificil assim fazer vc mudar de ideia! 🙂
      Eu tb tenho horror a acampamentos, mas quando nao se tem outra alternativa…
      Por enquanto a minha curiosidade de visitar o lugar fala mais alto, vamos ver atè quando vai ser assim!
      Bjs

      Reply
  • 02/02/2012 at 15:14
    Permalink

    … pois eu também passo por completo uma experiencia destas. É interessante conhecer, mas prescindo da experiencia na primeira pessoa.
    óptimo artigo, 5 estrelas mesmo, pois este tipo de informacoes e sensacoes, certamente nao sao publicitadas no site do hotel, ou em qq outro lugar faça propaganda ao hotel.
    Muito obrigada pela partilha de mais esta experiencia.

    Reply
    • 02/02/2012 at 18:40
      Permalink

      Era bem essa a intençao, turista ocasional.
      Tudo o que li a respeito era de gente feliz com a experiencia, que salientava sò o lado bom da coisa…
      Pelo menos quem le meu blog e quiser ir pra là, vai consciente! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 02/02/2012 at 16:28
    Permalink

    Sensacional, Luiza, ótima e divertida narrativa. Eu acampei quando tinha 16 anos e fiquei traumatizada pro resto da vida… Parabéns por ter feito a vontade do marido e passado por essas situações todas, que realmente devem parecer bem engraçadas depois, mas na hora nem um pouquinho, e – principalmente – por nos trazer este post bacanérimo, pra matar nossa curiosidade. Beijos.

    Reply
    • 02/02/2012 at 18:41
      Permalink

      Obrigada Virginia!
      Acampamento tb nao è comigo, e o duro è que jà tenho outro no programa para esse ano!
      Quando o destino nao te dà alternativas, o que fazer?
      Bjs

      Reply
  • 02/02/2012 at 17:16
    Permalink

    Adorei o post. Me fez conhecer um lugar onde nunca irei…dou por visto

    Reply
  • 02/02/2012 at 17:20
    Permalink

    Mais uma vez vc descreve muito bem os lugares e as sensações da viagem. Parabéns, Luiza!

    Reply
  • 02/02/2012 at 20:02
    Permalink

    Ahhhh Passou completamente pra gente a sua experiência! Tô até com frio!
    Olha, vc foi mesmo legal com seu marido (e com dua curiosidade né)
    Bjo

    Reply
    • 06/02/2012 at 21:12
      Permalink

      Oi Carla,
      E’ o tal revezamento de programas de indio… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 02/02/2012 at 22:24
    Permalink

    Olá Luisa, estou adorando o seu relato!
    Sou como vc e odeio frio, com essa serie de posts estou matando a vontade de conhecer.

    Reply
    • 06/02/2012 at 21:13
      Permalink

      Oi Hanna
      E’ um daqueles lugares que a gente nao precisar ir atè là pra ver como è, nao è mesmo? 😉
      Bjs

      Reply
  • 03/02/2012 at 00:29
    Permalink

    Ótima descrição. Adorei! Mas apesar de tbém ser muito curiosa, acho que não teria coragem não.

    Reply
    • 06/02/2012 at 21:14
      Permalink

      Precisa de coragem, nao, Flora!
      Tem que ter muito desprendimento com o conforto e deixar a vaidade de lado! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 06/02/2012 at 01:12
    Permalink

    Luisa, estou adorando seus relatos sobre a super experiência Ice Hotel + Aurora Boreal. A Aurora Boreal é algo que sempre quis ver. Depois que li tudo, sei lá, posso esperar mais um pouco pra ver se a vontade passa! 🙂

    Reply
    • 06/02/2012 at 21:20
      Permalink

      Oi Adri
      Acho que esses meus posts serviram sò para dar dicas de onde nao ir… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 07/02/2012 at 17:38
    Permalink

    Olá Luiisa,
    Adorei o blog e o relato, que além de real (que bom!) é engraçado. Depois do Ice Bar de Estocolmo eu me “desempolguei” dessa experiência. Adoro frio, mas tenho insônia, e fiquei imaginando onde eu “deixaria minha dignidade” para perambular pelo hotel!

    Reply
    • 14/02/2012 at 10:21
      Permalink

      Oi Celina
      Eu nunca fui muito empolgada com nada gelado… Mas o amor è lindo, e tem acompanhar o marido na alegria e na tristeza, nè? 🙂
      Bjs

      Reply
  • 13/02/2012 at 01:35
    Permalink

    Como que a gente faz se quiser ir ao banheiro no meio da noite?

    Reply
    • 14/02/2012 at 10:30
      Permalink

      Oi Lali
      Facil, sai do saco de dormir, coloca as botas congeladas, sai correndo pelo hotel atè o vestiario, usa o banheiro, volta correndo pro hotel, tira as botas e se enfia de novo no saco de dormir.
      Ah, o mesma operaçao serve se vc quiser beber agua no meio da noite. Nao dà pra deixar um copo com agua do lado da cama…
      Bjs

      Reply
  • 18/04/2012 at 20:50
    Permalink

    HAHAHAHA…
    Luisa, amei seu post!!!
    Dei muita risada!!!
    Que coisa mais cômica!!!
    HAHAHA…
    Com certeza é uma experiência única e um tanto quanto inusitada!!!
    Tô amando seu blog!
    Lendo direto!!!!
    Beijos,
    Dani S.

    Reply
    • 26/04/2012 at 10:01
      Permalink

      Obrigada, Dani!
      Bjs

      Reply
  • 13/05/2012 at 22:27
    Permalink

    Aqui em casa está mais ou menos 28 graus, só em ler seus artigos sobre o Ice Hotel fiquei com frio, tremendo de rir só de imaginar o meu marido em um lugar desse, acho que não vou é nunca em lugar assim. Sou mesmo muito tropical para isso. Parabéns pelos artigos e o tom engraçado que usa para falar sobre essas viagens que são no mínimo esquisitas.

    Reply
    • 30/05/2012 at 09:31
      Permalink

      Obrigada, Cleyde!
      Bjs

      Reply
  • Pingback: Viajando na Gravidez | Viaje na Viaje – Informações sobre turismo

  • 23/06/2013 at 01:40
    Permalink

    Luísa

    estou rindo até agora dos seus comentários. Exceleeentes e verdadeiros.
    Eu estive em fevereiro deste ano no Ice Hotel. Já tinha estado antes no Ice Bar de Stockholm e pensei então em experimentar o hotel. Fiz a reserva, mas a sinusite piorou muito (tinha passado a noite anterior num dog sledding num lago em Kiruna, em -32 graus) e lógico que não tinha condições de ficar naquele friiiio. Alguns amigos meus ficaram e me contaram como foi. Mas o seu relato foi, de longe, o melhor. Fiquei imaginando as minhas idas e vindas no banheiro do vestiário kkkkkkkkkkkkk

    Reply
  • Pingback: Kiruna – o que fazer | Essência Nômade

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *