Ilhas Solovki

Tao logo li sobre as Ilhas Solovetsky (Solovki para os intimos), fiquei morrendo de vontade de conhece-las. Imagina um lugar perdido no meio do Mar Branco, que além de todas as belezas naturais de uma ilha(principalmente em funcao da pouca presença humana), é sede de um dos mais importantes mosteiros do Imperio Russo, jà foi colonia penal czarista e um dos campos de concentraçao mais desumanos do regime soviético! De arrepiar, né!

Quando eu estava organizando a viagem, eu pude entender porque Solovki era o lugar ideal para mandar prisioneiros: é muito inacessivel! A navegaçao sò funciona durante o verao, quando o mar nao esta congelado e o aviao fica muito a merce das condiçoes climaticas, extremamente instaveis. Tem que querer muito ir pra là! Nòs chegamos na ilha de aviao e, como nao tinhamos contratado nenhum transfer antecipadamente, tivemos que ir até o hotel a pé e arrastando malas em ruas sem asfalto e molhadas. Que situaçao! Ainda bem que a ilha nao é grande e nem as malas eram pesadas…

Por ser uma ilha localizada quase no fim do mundo, escolhemos o melhor hotel da “cidade” (um vilarejo, pra ser mais exata), o hotel Solovki, ainda assim, com muito medo do que encontrariamos, mas tivemos uma bela surpresa: hotel bonito, confortavel e limpo, bem localizado e, ninguém que falasse ingles, é claro!

Os outros hoteis da ilha, pelo menos por fora, nao pareciam ruins e até o albergue da juventude tinha uma cara amigavel. Eu acho que sò nao ficaria hospedada no Complexo Turistico Solovki (Turistichesky Komples Solovki), porque fica no meio do mato, longe da “cidade” e perto dos mosquitos.

Pois é… quem iria imaginar que em um lugar, onde a temperatura maxima no verao atinge incriveis 15°C, possui mais mosquitos que no Pantanal! Pelo menos os mosquitos do polo norte sao mais lentos que os mosquitos tropicais, ou seja, mais facil de mata-los!

A alimentaçao em Solovki é uma loteria: ou se come no hotel ou no unico “restaurante” da vila, e a escolha do prato é sempre feita na base da mais genuina roleta russa gastronomica. O maximo da escolha é apontar para um prato numa mesa vizinha e fazer mimicas: “Eu quero um daqueles!”. Ainda assim nao da pra ter nenhuma ideia do que vai ser servido…

Em uma ocasiao, no hotel, usando nosso frasario de russo, pedimos uma sugestao de alguma coisa a base de carne e de preferencia que nao fosse muito pesado (algo grelhado ou assado, por exemplo). Eu nao sei o que eles entenderam, mas veio uma tigelinha com carne de porco frita, mergulhada em manteiga e sour cream. Pelo menos a porçao era pequena…

Uma outra ocasiao, decoramos como se escreve “salmao” em russo e fomos felizes ao restaurante da cidade. Encontramos no menu 2 pratos com salmao: pedimos o primeiro e a garçonete: “niet, niet!”; pedimos o segundo e… “niet, niet!” (Niet é a primeira palavra que se aprende em russo! ).

Em assim sendo, o namorado, gastando todo o seu vocabulario russo, soltou um “minutiko”, que, segundo o frasario, quer dizer: “Espera um minuto”. A intençao do moço era ter tempo de escolher outra coisa pra comer, ja que salmao nao tinha.

Acontece que a garçonete nao entendeu o recado, anotou alguma coisa no bloquinho de papel e ficou olhando pra gente com uma cara de “mais alguma coisa?”. O namorado desespera: “O que foi que eu pedi???” e eu sò conseguia rir… “Seja là o que for, a gente come!”. Pra garantir o jantar, pedimos tambem uma borsht… Era a unica coisa que a gente sabia o que era e sabia o nome… No fim das contas, o namorado havia pedido uma saladinha de beterraba, pepino e cebola. Nada de grave, ainda bem!

Bom, como eu jà havia assinalado no inicio do post, as ilhas Solovki possuem uma historia incrivel. A começar por tumulos e labirintos feitos de pedra e datados do III ao I milenio a.C. Diz a lenda que a ilha era considerada um lugar de culto, onde os mortos poderiam realizar a viagem para o alem…

Mas a atraçao principal da ilha é mais recente: o  Mosteiro da Transfiguraçao de Solovetsky, localizado bem no centro da cidade e tambem chamado de Kremlin, porque possui muros grossissimos e mais parece uma fortaleza. Esse mosteiro foi construido no seculo XV, melhorado e ampliado no seculo XVI e, no seculo XVII, foi cercado por sete anos e foi saqueado por tropas czaristas por causa da oposiçao à reforma da Igreja Ortodoxa.

Depois desse cerco, o Mosteiro prosperou atè os anos 20 do seculo passado, quando o governo sovietico obrigou seu fechamento e abriu no lugar um campo de trabalhos forçados para os “inimigos do povo”. Dizem que nao era um lugar tao ruim assim, até que Stalin decidiu transforma-lo em um dos gulags mais terriveis do seu imperio. (Pra quem se interessar sobre o assunto, o livro “Arquipelago Gulag” de Alexander Soljenitsin).

Em 1939 foi finalmente fechada essa “celula prisional boiando num mar glacial” (essa frase nao é minha e nao me lembro onde foi que a li, mas ficou marcada na minha memoria como uma descriçao perfeita da ilha na epoca dos gulags) e os trabalhos de reconstruçao do mosteiro recomeçaram nos anos 60.

Nos anos 80 os primeiros monges começaram a voltar e ainda tem muito trabalho de reconstruçao para ser realizado, por enquanto sò uma igreja foi completamente restaurada. A entrada no mosteiro é gratuita, mas para entrar em alguns lugares e ver algumas mostras precisa de pagamento. Nao entendemos direito o que era gratis e o que era a pagamento, o que se podia visitar sozinho e o que sò poderia ser visitado com visita guiada, pois, é claro que ninguem fala ingles por ali…

Entao por via das duvidas, compramos o ingresso mais abrangente possivel e fomos abrindo portas e entrando por tudo… De vez em quando prestavamos atencao para onde os grupos estavam indo para segui-los e, atras de portas que achavamos que fossem de um “escritorio”, acabamos encontrando capelas com iconostases belissimas, ou uma sacada com uma vista maravilhosa da ilha…

Essa ilha foi o lugar onde mais sentimos falta de um guia que fale alguma lingua compreensivel (visitas guiadas eram normalmente em russo… em ingles nao tinha muita opçao). Senti que perdi muita coisa por nao saber russo, mas ainda assim, valeu a viagem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 thoughts on “Ilhas Solovki

  • 11/10/2008 at 16:11
    Permalink

    Cara, conheci seu blog agora, muito bom!
    Ontem fiz um parecido, mas que não tem tanto conteúdo porque ao contrário de você, não tive a oportunidade de viajar…
    Mas dá uma visita lá: http://milmaravilhas.wordpress.com

    Obrigado!

    Reply
  • 11/10/2008 at 22:29
    Permalink

    Luisa

    Fui espreitar o site do Hotel Solovki onde ficaram (estou a treinar para quando me aventurar na organização de uma viagem á Russia…)e pelo menos algumas paginas eram em Inglês.Conseguiu reservar directamente com eles em Inglês ou teve que recorrer ao seu Russo fluente:-)??
    De qualquer maneira já decidi que o melhor é copiar o seu roteiro completo se lá for ainda nova e com paciência para percalços do género ir com as malas a arrastar do aeroporto para o Hotel…hehehe
    Se lá for já na idade da reforma ,acho que vou optar pelo cruzeiro mesmo…

    As ilhas parecem lindas e a valer a visita,mesmo correndo o risco de ter umas surpresas na hora do jantar:-)

    Bjs

    Reply
  • 13/10/2008 at 12:20
    Permalink

    Oi Matheus,

    Seja bem vindo! Vou espiar seu blog!

    Bjs

    Reply
  • 13/10/2008 at 12:25
    Permalink

    Oi Margarida

    Impossivel reservar diretamente! Tentei de todas as formas: telefone, email… Tive que apelar para uma agencia de viagens em Sao Petersburgo, e fazer o pagamento antecipado das diarias em uma conta na Finlandia…

    Mas deu tudo certo!

    Bjs

    Reply
  • Pingback: Arkhangelsk « Arquivo de Viagens

  • 22/10/2008 at 03:42
    Permalink

    Luisa, minha cara, q viagem MARAVILHOSA essa, hem? Um lugar bem “exótico”. Gostei. 🙂
    Beijos.

    Reply
  • 22/10/2008 at 12:17
    Permalink

    Oi Lucia,

    E poe exotico nisso! Sò fiquei triste de ter chegado uma semana depois do periodo de observaçao dos animais marinhos da ilha…

    Bjs

    Reply
  • 29/10/2010 at 23:27
    Permalink

    Oi,amigos,adorei.
    MMas…por favor,me ensina como se escreve “salmão” em russo?
    Obrigada

    Reply
    • 30/10/2010 at 15:55
      Permalink

      Ih, Catarina, nao me lembro!
      Decorei pra viajar e jà esqueci tudo!
      Bjs

      Reply
  • 17/11/2010 at 07:09
    Permalink

    Olá como está?
    Sim Solovki é um lugar incrível… Pelo menos eu fiquei muito bem impressionado com ás três ilhas que visitei. Passei lá uma semana num quarto alugado numa pensão muito simples.
    Mas eu comi muito bem, mais à base de peixe e vegetais com trigo sarraceno cozido a acompanhar como se fosse arroz e leites fermentados também, algo entre iogurte, queijo, quefir, coisas que não se comem nos países Lusófonos certamente…
    A natureza é brutal naquele lugar bem como em toda a região da Carélia e costa do Mar Branco, vários tipos de pinheiros e bétulas (de casca branca), tapetes de mirtilos (bagas azuis como as das zonas montanhosas do norte de Portugal), etc…
    Percorri grande parte da ilha de bicicleta, embora faltasse a parte norte da ilha que é muito natural, vi as baleias brancas e as focas, os labirintos em pedra com quatro mil anos e os túmulos, deixados por um povo ancestral que por ali passou… Existe um jardim Botânico de plantas do frio plantado pelos monges e uma rede de canais navegáveis entre os lagos, etc…
    Aqui deixo um link com algumas fotos dessa viagem que me ficou gravada na alma…
    http://www.facebook.com/album.php?aid=187461&id=680992992&l=4a324b2b46

    Roberto

    Reply
    • 24/11/2010 at 14:28
      Permalink

      Obrigada, Roberto, pela visita e pelo comentario!
      Lindas as fotos! Deu saudades da minha viagem!
      Bjs

      Reply
  • 21/01/2011 at 18:25
    Permalink

    Uau!!! Uma verdadeira aula de história russa, amei!!!
    Mas confesso que me diverti muito com as suas observações sobre a roleta russa gastronômica… Já me imagino tentando alguma comunicação. haha
    Quantos dias vc passou na Russia?

    Reply
    • 26/01/2011 at 12:35
      Permalink

      Oi Natalia,
      Eu fiquei quase um mes rodando pela Russia. Foi fantastico!
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *