Mercado flutuante Damnoen Saduak

Uma das imagens que tinha na minha mente sobre a Tailandia, antes de viajar, eram aquelas fotos super coloridas dos mercados flutuantes, com barcos vendendo frutas, verduras e comidas exoticas, e quando estava organizando a viagem, a visita a um desses mercados nao poderia faltar.

Eu tinha lido em varios lugares que esses tais mercados um dia jà foram interessantes mas que hoje nao passam de lugares pega-turista, mas mesmo assim eu precisava ver pra crer, sò estava em duvida sobre qual escolher.

Depois de pesquisar sobre as varias opçoes, eu fiquei em duvida entre o mais fotografado e turistico Damnoen Saduak e o mercado galegiante de Amphawa, que è noturno. Acabamos escolhendo o Damnoen Saduak, pq se è o mais famoso, terà os seus motivos.

A dica que recebemos è para chegar o mais cedo possivel, para poder ver os barcos com as frutas e verduras. Pelo o que eu entendi, o mercado tailandes funciona que nem feira em cidade do interior do Brasil: quem chega tarde, nao encontra mais nada. Em assim sendo, madrugamos!

Chegando là, alugamos um barco no mesmo esquema “montagem industrial” tipico tailandes para atraçoes muito turisticas: os turistas vao chegando e vao sendo encaminhados de um lado para o outro, passando de pessoa a pessoa, atè entrarem no barco, meio sem entender como.

Avisaram que o passeio de barco pelo mercado flutuante dura mais ou menos 1h30, mas nòs nao conseguimos ficar mais do 45 minutos por ali.  Excluindo uma meia duzia de gente em barcos vendendo alimentos frescos, o resto sò vendia quinquilharias de qualidade duvidosa e souvenirs.

Sabe aquela sensaçao horrivel de tempo e dinheiro jogados fora? Pois è… saimos de là assim…. O pior è que nao posso nem reclamar que era uma atraçao pega-turista, eu fui consciente da furada…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 thoughts on “Mercado flutuante Damnoen Saduak

  • 18/01/2012 at 16:37
    Permalink

    É. Luiza, mas às vezes a gente tem que “ver pra crer”, né? Eu costumo fazer assim, se o tempo está apertado, sigo os conselhos de não ir a este ou aquele lugar, mas se não, vou checar. Acho que vale, mesmo ficando com essa sensação de desperdício, afinal o que outros acharam não é verdade absoluta. Ainda mais estando num lugar assim exótico… Bjs.

    Reply
    • 19/01/2012 at 14:00
      Permalink

      Oi Virginia
      Como eu sou muito curiosa, eu jamais deixaria de ir a um lugar super turistico, mesmo com tempo apertado. Prefiro ir, sabendo da furada, e falar mal depois! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 18/01/2012 at 17:56
    Permalink

    Luisa, eu sempre acho que é melhor ir e criticar do que não ir. Eu imaginava que fosse algo bem turístico, mas queria ver de qualquer maneira e não saiu muito do esperado. O que salvou um pouco o passeio foi que não paramos direto em Damnoen Saduak, mas pegamos um barco pequeno a motor bem antes que andou pelo menos meia hora nos canais mais distantes, passando pelas casas e templos. Devia ser interessantíssimo, mas o turismo pegou pesado ali.

    Reply
    • 19/01/2012 at 14:05
      Permalink

      Oi Emilia
      Eu tenho a mesma opiniao que vc: tem lugar que nao tem como nao ir! 🙂
      Nòs tb pegamos um barco longe do mercado e andamos uns 20 minutos por canais com casas e templos que foi o que salvou um pouco o passeio, mas mesmo assim o custo-beneficio nao valeu a pena!
      Bjs

      Reply
  • 18/01/2012 at 23:59
    Permalink

    Luísa, leio seu post acerca do mercado flutuante com muita propriedade (assim como o fiz com o das “mulheres girafa” (na minha opinião o mau-gosto começa já neste nome).
    Eu e Emília retornamos da Tailândia e Cambodia e tmambém nos decepcionamos com o mercado flutuante, tão descaracterizado que apenas o caminho pelos klongs, de barco, até a área do mercado propriamente dita, valeu. Todavia, comermos um macarrãozinho daqueles dentro de nosos barquinho a remo mesmo.

    Não sei se eu afirmaria para um viajante não ir em hipótese alguma, porque não compactuo com afirmações assim, como se apenas a minha opinião fosse a válida. Todavia, ainda que eu jamais volte lá, não acho que tenha sido assim uma experiência tão desprezivel para nós.

    Deixo aqui meus parabéns por suas ótimas matérias.

    Muito bom os leitores poderem tomar sua próprias conclusões acerca de irem ou não (respeito profundamente o desejo de cada um fazer o que bem entende) e por isso este post torna-se bem útil, porque mostra a realidade.

    Reply
    • 19/01/2012 at 14:09
      Permalink

      Oi Arnaldo
      Como vc, eu tb nunca digo a alguem para nao ir a algum lugar, especialmente pq esse tipo de “conselho” nao funciona comigo! 🙂
      Eu prefiro saber como è a realidade do lugar, gosto de saber a opiniao de quem escreve sobre o lugar e decidir se vale a pena ou nao ir de acordo com minhas preferencias pessoais.
      Mas fala a verdade, esse macarraozinho vendido em barcos ou barraquinhas com uma higiene duvidosa sao o ponto alto da culinaria tailandese! Eu adorei!
      Muito bom te ver por aqui e fico lisonjeada com teu comentario! Obrigada!
      Bjs

      Reply
  • 20/01/2012 at 19:49
    Permalink

    Passeio super mega pega turista, mas quem escapa? Eu nao escapei e também paguei pra ver. 🙂

    Reply
    • 23/01/2012 at 16:08
      Permalink

      Oi Carina
      Esse tipo de coisa faz parte de toda viagem, nè nao? 🙂
      Bjs

      Reply
  • 20/01/2012 at 23:03
    Permalink

    Luiza tenho conhecidos que tb nao gostaram nada do mercado flutuante. Acharam sujo e cheio de quinquilharias…
    Mas acho que mesmo assim, quando eu for la, vou fazer que nem todo mundo e pelo menos dar uma passada! rs! É o famoso “ver para crer”, nem que seja para comprovar que é uma furada! hehe! É estranho, mas viajante tem dessas coisas ne?
    bjus

    Reply
    • 23/01/2012 at 16:12
      Permalink

      Entao, Guta, todo mundo vai, todo mundo tira foto, todo mundo fala mal… como nao ir tb? 🙂
      Sindrome de maria-vai-com-as-outras, como diria a minha mae… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 24/11/2012 at 15:25
    Permalink

    Quando fui a Tailandia, desisti em ir a este mercado primeiramente porque o calor que fazia em Bangkok não me incentivava a fazer um passeio longo até chegar em um barquinho sob um sol escaldante. Optei em conhecer a Ancient City, mais proxima de BKK . Para quem não conhece, é um parque que tem a replica dos principais templos e parques do pais, incluindo o Damnoen Saduak. O passeio é de bicicleta e é sensacional! Recomendo!
    Para os turistas que não podem andar de bike, eles alugam carrinhos de golf ou há um motorista em um mini trem que leva os idosos. Come-se nos restaurantes do mercado flutuante ou diretamente das senhoras que vendem no barquinho. Uma delicia!. Para chegar lá, peguei o BTS até a ultima estação e de lá um taxi. A recepção de qq hotel informa o nome da estação, desculpem por eu não ter anotado… no site abaixo há + detalhes. http://www.ancientcity.com/en

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *