O whisky de Islay

Um dos lugares que marido fazia questao de visitar na Escocia era a ilha de Islay, mais conhecida como a Meca do “whisky tourism” e viajar para là com uma gravida a tira-colo era sò vantagens (pra ele, è claro!): podia beber o dobro nas degustaçoes e ainda contava com uma motorista sobria à disposiçao! Ah, os sacrificios que uma mulher apaixonada nao faz pelo homem amado… 🙂

Sao 8 as destilarias de Islay e visitar todas elas exige tempo, pelo menos uns 3 ou 4 dias. Nem tanto por causa da bebedeira, mas principalmente porque os horarios das visitas sao bem restritos, mudam conforme a destilaria e se nao agendar com uma certa antecedencia, jà era!

Mas vale a pena visitar todas elas? Bom, nòs visitamos 6 destilarias nos 2 dias inteiros que passamos na ilha e achamos que jà estava passando de bom. Apesar das explicaçoes sobre a produçao do whisky serem basicamente sempre as mesmas, foi interessante ver as particularidades de cada uma.

Mas sinceramente, para visitar todas elas, vc tem que ser realmente um apaixonado por whisky, senao acaba caindo na mesmice. Eu me daria por satisfeita com umas 3 destilarias visitadas.

As destilarias que visitamos foram:

Bowmore: foi a primeira que visitamos e me pareceu a que tem mais infraestrutura para receber o turista. As explicaçoes sao mais detalhadas e com um vocabulario mais simples, para leigos. Deu a impressao de que os turistas sao tao importantes quanto a produçao do whisky, mas eles regulam um pouco na hora da degustaçao: è um copinho antes (durante um filme de apresentaçao) e um copinho no final do tour.

Caol Ila: como o marido è apaixonado pelo 18 anos dessa destilaria, em vez de fazermos o classico giro turistico, agendamos uma degustaçao com todos os whiskys produzidos ali. Ironia do destino, eles tinham todos os whiskys, menos o 18 anos! Como nenhuma destilaria engarrafa os proprios whiskys em Islay, existem whiskys que acabam nem voltando para a “fabrica”. De Glasgow (ou de onde quer que sejam engarrafados) seguem diretamente para a distribuiçao, conforme a demanda.

Falando em demanda, em Islay descobrimos que 90% da produçao de Caol Ila è destinada à produçao de Johnnie Walker. (A pergunta que nao quis calar foi: como Johnnie Walker consegue estragar um whisky tao bom?)

Nao sei se a memoria faz com que os sabores sejam melhores do que eles realmente sao, mas marido afirma de pès juntos de que o 18 anos è melhor do que o 25 anos que ele experimentou… Eu fiquei sò no cheiro….

Kilchoman: è a menor e a mais recente destilaria de Islay, como eles plantam a propria cevada e a transformam em malte ali mesmo, a parte interessante da visita foi ver, na pratica, como esse processo acontece.

E por ser uma destilaria muito recente e pequena, eles ainda nao tem muito o que oferecer em termos de degustaçao, afinal o whisky precisa envelhecer e o primeiro single malt que produziram jà esgotou. Como eles nao tem ainda muito whisky para oferecer, a lojinha no final da visita è a que oferece mais variedade de coisas para comprar e nao sò garrafas.

Laphroaig: achei a visita mediana, nao acrescentaram nada alem daquilo que eu jà tinha ouvido nas outras destilarias…

Lagavulin: foi uma das visitas mais interessantes porque aqui a produçao nao para nas ferias. Entao tivemos a oportunidade de ver as maquinas trabalhando a todo vapor, pudemos experimentar, diretamente dos barris, o whisky fermentando antes de ser destilado e acompanhar todo o processo de produçao ao vivo. A desvantagem è que nao podia tirar fotos…

Ardbeg: depois de visitar Lagavulin, estavamos jà mais do que satisfeitos com as visitas às destilarias, mas resolvemos visitar tambem Ardbeg.

Primeiro, porque nessa destilaria fica um dos melhores lugares para almoçar de Islay: o Old Kiln Cafè (lembrando que Islay nao oferece muitas opçoes de restaurantes…) e segundo porque o lado emocional falou mais alto: Ardbeg foi o whisky que nòs escolhemos para a festa do nosso casamento. A visita foi OK, como em Laphroaig, nada de novidades.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 thoughts on “O whisky de Islay

  • 25/10/2012 at 22:02
    Permalink

    Esta é uma viagem que sempre desejei fazer. Uma outra, parecida, será na fábrica da Guiness. Por enquanto me satisfaço visitando a fábricada cerveja Cuca, em Luanda.

    🙂

    Reply
  • 25/12/2012 at 12:57
    Permalink

    já visitei vinicolas e cervejarias, mas destilarias não estão na minha lista ainda nao… 🙂

    Feliz Natal!!

    Reply
  • 25/02/2013 at 20:45
    Permalink

    Você está grávida? Que legal… parabens!!!
    Olha… meu maridão ia adorar essa viagem também, ele adora um whisky!!!
    bjos

    Reply
    • 27/02/2013 at 10:10
      Permalink

      Oi Mi
      Eu tava gravida… A herdeira jà està com quase 4 meses 🙂
      Se o Kiko curte um whisky, esse è O lugar pra ele!
      Bjs

      Reply
  • 12/11/2014 at 03:26
    Permalink

    Muito legal seu post!!!

    Como seu marido, sou apaixonado pelo Caol Ila, principalmente o 12 e o Moscatel Finish.

    Última vez que estive na Escócia, acabei passando a semana inteira em Edimburgo e infelizmente não pude visitar Islay. Mas adorei a idéia que você me despertou pela experiência que tiveram em relação ao motorista, quando eu tiver oportunidade de passar uns dias lá na ilha, certamente tentarei contratar um….hahahaha.

    Parabéns pela escolha do Ardbeg para seu casamento. Espero que os convidados tenham apreciado esse ícone (sublime) do mundo dos whiskys.

    Abraços,

    David

    Reply
    • 12/11/2014 at 13:23
      Permalink

      Obrigada, David!
      Se voce gosta de whisky do tipo do Caol Ila, Islay è o teu lugar e um motorista è imprescindivel! 😉
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *