Parque Nacional Tierra del Fuego

Pra quem lê o meu blog com uma certa frequência já deve ter percebido que eu sou do tipo “urbana e fresca”, que não sou chegada a um contato muito próximo e prolongado com a natureza, mas me aventuro de vez em quando em Parques Nacionais.

Por conta dessa minha frescura toda, o Parque Tierra del Fuego estava me preocupando… Tudo o que eu lia a respeito falava que a melhor trilha era a “Senda Costiera”, uma linda caminhada de 8km e 3 horas pela costa marinha, atravessando bosques. Eu até gostei da parte da costa marinha e dos bosques, mas 8km e 3 horas no meio do mato!! E pra voltar? Mais 8km e mais 3 horas no mato?

tierra-del-fuego7

Bom, já que estávamos ali mesmo, fui com preparada e com disposição para encarar a trilha. Mas o meu santo é forte! Na entrada do Parque tem um centro de informações que distribui um mapinha do Parque com todas as trilhas assinaladas e uma pequena descrição sobre elas.

Graças a esse mapinha, descobri que tem uma região do Parque, chamado “Sector Lapataia”, com trilhas menores, de baixa dificuldade e cada uma com uma característica diversa. Melhor que isso, impossível!  Não tem como enjoar ou se cansar desse jeito!

tierra-del-fuego3

Para começarmos, escolhemos a trilha “Senda de La Baliza” , que possui pouco mais de 1km (só de ida, depois tem mais 1km pra voltar), fica no limite do que eles chamam de ” Reserva Natural Estricta” (um lugar com um grande valor “biológico” e, por isso mesmo, cheio de proibições entre elas o acesso ao público em geral) e ainda possui uma “castorera” ativa.

tierra-del-fuego6

Eu li em algum lugar que, no início do século passado, os europeus introduziram castores no Parque por causa do interesse econômico na sua pele. Acontece que os castores gostaram tanto da nova casa que viraram quase uma praga por ali, pois se tornaram selvagens num ambiente que não estava preparado para recebê-los.

tierra-del-fuego4

Eu não entendo nada de bosques, mas é muito evidente o impacto causado pelos castores na vegetação. Do nada, uma região cheia de árvores e tudo verdinho se transforma em um mar de tocos secos. É impressionante!

tierra-del-fuego5

Em seguida fizemos a trilha “Laguna Negra”, de uns 950m (tb só de ida) e muito facinha, onde poderíamos observar um “turbal” em formação. Um o quê? Pois é… fazer trilhas tb é cultura! O “turbal” são restos de vegetação, como musgos e gramíneas acumulados e comprimidos e que, por causa das características da região (umidade, temperatura, acidez do solo, etc…), a matéria orgânica leva muito mais tempo pra se decompor.

tierra-del-fuego2

Então, as plantas morrem, se acumulam e não se decompõem por muitos anos, (tinha uma placa no parque informando que tem turbal de até 14 mil anos) o que resulta num super banco de dados de matéria orgânica, a alegria dos pesquisadores.

tierra-del-fuego11

Para finalizar o nosso ecoturismo, fizemos uma trilha curtinha, de 600m,  chamada “Paseo de la Isla”, que passa pela costa dos Rios Lapataia e Ovando e é , segundo a descrição do mapa, uma ótima oportunidade para observar aves aquáticas. Eu não vi tanta ave assim, mas me diverti um monte observando várias familias de patos, com patinhos desengonçados.

No final das contas, fiquei muito mais que 3 horas no Parque e caminhei muito mais que 8km no meio do mato! Até que não sou tão fresca assim…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

15 thoughts on “Parque Nacional Tierra del Fuego

  • 24/01/2009 at 13:19
    Permalink

    Luisa agora entendo tua reação a La Gomera, aí o turismo é basicamente de aventura e rural (risos). Eu também era cidade total, daí conheci meu canário e agora tô mais natureza, no começo foi meio punk, caminhar 7/8 horas, tudo acontecia comigo, agora pouco a pouco vou melhorando (risos)
    Beijos

    Reply
    • 27/01/2009 at 11:08
      Permalink

      Oi Patricia,
      Eu acho a natureza linda! E to sempre me aventurando em parques, mas eu acho que ainda estou na fase “punk”… 🙂
      E pra complicar, o meu italiano consegue ser mais urbano e mais fresco que eu!
      Um dia a gente chega là!
      Bjs

      Reply
  • 24/01/2009 at 19:12
    Permalink

    Gostei da classificação “urbana e fresca”…está optima para mim também… 🙂
    Eu gosto muito de andar a pé,muitas vezes mais de 8 km num dia,mas é mais entre prédios…de preferência com museus e lojas…hehe…mas tenho que concordar que esses trilhos no Parque Tierra del Fuego no fim-do-mundo devem ter sido um incrível encontro com a natureza!
    Estou a guardar as minhas perninhas para fazer o trilho entre as aldeias de Cinque Terre…

    bjs

    Reply
    • 27/01/2009 at 11:15
      Permalink

      Oi Margarida,
      Eu tb adoro caminhar e quando viajo caminho muito mais do que 8km! Mas, como vc, gosto de caminhar em cidades, com museus, lojas, cafès, praças…
      Mas quando o lugar è bonito, a gente nem se dà conta do esforço! Vc vai ver nas Cinque Terre! 😉
      Bjs

      Reply
  • 24/01/2009 at 20:12
    Permalink

    Luisa, também sou mega urbana e fresca e depois da minha viagem para a Patagônia já posso me considerar mais “aventureira” e quando eu vejo um Parque Nacional tenho até um certo carinho.
    Fiz exatamente esses dois passeios: Bahia Lapataia e Senda Costeira…e tenho que dizes são 8 km mesmo! A parte costeira é mais tranquila, mas a parte bosque foi bizarra. Mas a coisa boa é que não são 8 km pra ir e voltar, você acaba onde tem o camping e o bar/café.
    Na verdade eu fui enganada. Eu ia fazer uma outra trilha (que era de 4 km) e o carinha da van me deixou nessa, já que estava nevando e a outra estaria escorregadia. Depois de andar e muito avistei uma plaquinha. Fui logo ler e estava escrito 4 km, pensei na hora ufaaaa acabou!!! Fui procurar a saída e não achei. Lembrei do mapa que davam na entrada do parque e abri, e estava escrito 8 km!!! Tive que engolir e continuar, pra onde quer que fosse seriam mais 4 km!!!
    Agora adorei a brincadeira e outro dia mesmo aqui no Rio fiz a trilha pelo parque Lage até o Cristo.
    Luisa, eu estou amando relembrar minha viagem com você!!!
    Beijos

    Reply
    • 27/01/2009 at 11:18
      Permalink

      Oi CarlaZ
      Entao eu fiz bem em nao fazer a Senda Costeira? Bizzara!? Eu, hein? 🙂
      Bjs

      Reply
  • 26/01/2009 at 12:17
    Permalink

    Luisa, nunca imaginei que os castores fossem uns bichinhos tão devastadores!

    E pra uma pessoa fresca você até que está se saindo muito bem no meio do mato. 😉

    Beijos!

    Reply
    • 27/01/2009 at 11:19
      Permalink

      Oi Camila,
      Sabe que nem eu! Nos desenhos animados eles sao sempre tao fofinhos! 🙂
      “Me saindo bem” è muita gentileza sua, mas vou continuar tentando! Um dia eu chego là!
      Bjs

      Reply
  • 26/01/2009 at 17:33
    Permalink

    Ahhh… O que mais gostei é que apesar de você se intitular “urbana e fresca”, pelo menos não deixou de experimentar e encarar um pouco de mato!!! Ao menos você fez a trilha… a distancia nem importa muito, já valeu!!
    🙂

    Beijos

    Reply
    • 27/01/2009 at 11:21
      Permalink

      Oi Carol
      A minha sorte è que sou mais curiosa que fresca, entao a curiosidade nao deixa a frescura impedir qq tipo de passeio! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 27/01/2009 at 12:15
    Permalink

    Luiza,
    quando estava procurando trilhas, sempre procurava subindo montanha, porque aquela história de ver neve era nova pra mim e queria aproveitar, então acabei caindo na senda costeira, não foi a que escolhi.
    Tinha chovido durante a semana, e tinha passado cavalo pela trilha então era muita lama!!! Numa parte no bosque tinha que prestar tanta atenção de onde colocar o pé que irritava. Ainda bem que eu estava com uma bota poderosa que me passava segurança. Os primeiros 4 km adorei, mas depois…enfim é melhor lembrar dessa primeira metade e que eu adorei!!!
    Sabe que o que me motivou a fazer esses passeios tão diferentes do que eu teoricamente gosto foi a curiosidade também e está sendo ótimo, afinal agora tem tantas coisas mais pra fazer.
    Beijos

    Reply
    • 28/01/2009 at 14:29
      Permalink

      Oi CarlaZ, entao me dei bem mesmo! Peguei sò a parte bonita e sem muita lama… Tinha chovido horrores tb e tava tudo muito molhado… Alias, acho que sò chove no fim do mundo… Nem nas fotos de publicidade de passeio o dia era bonito… 🙂
      Bjs

      Reply
  • 24/04/2009 at 18:20
    Permalink

    Luisa, sou estudante de Direito, vi uma entrevista com voce sobre viver no exterior e vi que fez pós graduação em Coimbra. Será que voce pode me dar seu email para que eu possa buscar através de você algumas informações sobre a universidade de Milão, pela qual me interesso bastante mas que não conheço tão bem?

    Reply
    • 04/05/2009 at 11:33
      Permalink

      Oi Hanna
      Eu nunca frequentei nenhum curso em Milao (excluindo duas semanas de italiano basico numa escola pra estrangeiros), entao acredito que nao possa te ajudar.
      O ideal è entrar diretamente no site da universidade e pegar informacoes oficiais.
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *