Parques na Tanzania: ficha técnica

Como nós fomos para a Tanzania de lua-de-mel, deixamos a organização da viagem numa agencia de turismo. Apesar de ter sido uma viagem bem $algada (a Tanzania è jà um destino caro por excelencia e digamos que contratar uma agencia nao barateou as coisas), foi uma experiencia incrivel!

De qualquer modo, se eu tivesse que organizar essa viagem por conta propria, eis o que eu gostaria de saber antes de partir:

QUANDO IR: A melhor época é o periodo de seca que vai de junho a setembro, principalmente por causa dos mosquitos, abundantes com o tempo umido. Nao da pra esquecer que a malaria é uma doenca seria e muito comum por lá.

 Julho e agosto sao considerados altissima temporada e como nao existe uma limitacao de quantidade de pessoas admitidas dentro dos parques, vc acaba vendo mais gente do que bicho, principalmente em Ngorongoro.

ONDE FICAR: No melhor hotel do lugar e dentro dos limites do parque. Vai custar uma fortuna? Vai! Mas quanto mais pobre é o país, mais rica deve ser a acomodação.

ndarakwai3

Nós ficamos só em estruturas consideradas de luxo e, apesar de termos um quarto espacoso e todos os mimos que um hotel de luxo pode oferecer, a energia elétrica e a agua quente e encanada eram racionadas. Olha o nivel do funcionamento do chuveiro de um dos hoteis: um bolsao de 30 litros que era enchido com agua quente, quando solicitado.

ndarakwai2

Pra piorar, vc fica completamente dependente da estrutura e dos servicos do hotel, pois nao tem pra onde fugir, entao, no minimo, o hotel deve ser confortavel e deve oferecer os servicos que cada um considere essencial para a viagem.

ngorongoro2

ONDE COMER: No hotel. Nao existe alternativa, a cidade mais proxima, com um minimo de infraestrutura, ficarà a uns 200km de distancia… Entao, ou voce come o que o hotel servir, ou vc nao come. Simples assim!  A qualidade da comida é um outro bom motivo para escolher o melhor hotel do lugar.

ngorongoro1

 O QUE COMER: Os hoteis só servem cozinha internacional: carne (de boi, de frango, de cabrito…) com batatas em suas mais variadas formas; ou ainda macarrao com os tradicionais molhos a bolonhesa ou de tomate; e a infalivel sopinha de entrada.  A vantagem é que ninguem morre de fome e nem reclama da comida, mas, pra mim, é uma super desvantagem, pois tive pouquissimas oportunidades de experimentar a culinaria local.

kirawira2

Num dia em que o menu previa macarrao, nòs insistimos com o chef para que ele nos preparasse alguma coisa de africano, afinal, macarrao a gente come em casa. O chef ficou lisonjeado com o nosso interesse pela cultura local e disse que nos prepararia uma surpresa. Foi mesmo uma surpresa quando o prato chegou: arroz, feijao, banana frita, quiabo e frango assado! 

Em uma outra oportunidade, tambem pq insistimos com o chef, experimentamos “ugali” um tipo de tapioca servido com um picadinho de carne de cabrito. Melhor do que todas as carnes com batata que tinhamos comido até entao.

A minha frustraçao foi nao ter experimentado o tal “porridge”, que os nossos guias diziam ser o “prato nacional”. Infelizmente os hoteis nao o propoem para turistas… Só vi porridge sendo vendido por ambulantes nas ruas de Zanzibar e, para o bem do meu sistema digestivo, achei melhor nao arriscar.

picnic2

Uma coisa legal que os hoteis fazem sao almocos dentro dos parques, quando o safari è mais longo; ou os aperitivos ao por do sol no final de um safari. Juro que, vendo hipopotamos no rio ou elefantes cheirando o que nos tinhamos de bom pra comer, ou ainda leopardos numa arvore proxima sò esperando se sobrava alguma coisa… nem me lembro se a comida era boa ou nao.

picnic1

O QUE FAZER: Quem vai para um parque na Tanzania tem um único interesse: ver o maior numero de animais selvagens possivel. Mais uma vez, o hotel assume um papel importantissimo: se o hotel estiver dentro do parque, vc corre o serio risco de encontrar zebras, girafas, bufalos, macacos, passeando livremente pelas dependencias do hotel.

Excluindo os safaris, nao tem mais nada pra fazer, a nao ser relaxar no hotel (mais um motivo para investir num hotel legal).

kirawira1

Os safaris sao feitos normalmente bem cedo de manha e no final da tarde, por causa do calor. Os dias em que eu acordava mais tarde era por volta das 7h, mas normalmente o despertador tocava por volta das 5h30.  

A janta é servida por volta das 19h30 e quando escurece, os hospedes sao proibidos de andar pelo hotel desacompanhados para evitar “acidentes” com predadores.

Uma noite não conseguimos dormir por causa da gritaria de macacos bem do lado da nossa janela e, na manhã seguinte, descobrimos que os macacos gritavam pq tinha um leopardo tentando come-los!

Os Safaris: Nos melhores hoteis, os safaris estao incluidos no preco da diaria e, mais uma vez, quanto melhor o hotel, mais bem preparado será o guia. Como os parques permitem a entrada de qualquer um, com ou sem guia,  e como os hoteis mais em conta nao incluem o safari na diaria, convem ter muito cuidado com guias picaretas que querem ganhar dinheiro às custas de turistas desavisados.

avestruz

Alem disso, um bom guia contribui muito para o sucesso do safari, pois Parque Nacional não é jardim zoologico e precisa ter um olho muito bom para avistar os animais. Pode parecer absurdo, mas para quem nao é preparado, fica dificil até enxergar um elefante ou uma girafa no meio da savana, e de longe eu sequer conseguia saber se aquele ponto preto era um avestruz ou um bufalo… 

bufalo

COMO SE LOCOMOVER: Para ir de um parque a outro a melhor opçao é pegar um aviao. Quando eu digo aviao, eu estou sendo muito simpatica, na realidade só existem teco-tecos com capacidade maxima de 12 passageiros. E nao tem nem como ser diferente, pois os “aeroportos” são formados basicamente por uma pista de terra, um espaco para estacionar os jipes que farao os transfers até os hoteis e uma construçao bem basica onde fica o encarregado de cobrar as taxas de entrada nos parques e que nao tem a menor ideia da situaçao dos voos. Detalhe: eu só vi banheiro em 1 “aeroporto” e nao tinha agua.

strada3

Nos usamos muito a Coastal Airlines e usamos a Regional Air uma vez. Nao percebi nenhuma diferença entre elas… Ambas foram pontuais e usam o mesmo tipo de aviao.

strada2

Dirigir por conta propria é algo para se evitar a todo custo. A Tanzania é adepta da mao inglesa e as estradas sao cheias de gente, principalmente crianças, varios animais domesticos e alguns animais selvagens (topamos até com um filhote de hipopotamo na beira da estrada do lado da cidade de Babati) e nao possuem nenhum tipo de sinalizaçao. Ah, e a maioria das estradas são de terra e em pessimo estado de conservacao, é claro.

strada1

Para chegar no hotel a partir do aeroporto, ou qualquer outra viagem via terrestre, o ideal é pegar um transfer com o proprio hotel ou contratar um carro com motorista em alguma agencia de turismo local. Nao existem taxis ou qq outro meio de transporte nos aeroportos dos parques.

Mas, fora dos parques, para quem gosta de aventura, tem muuuuito tempo a disposicao, e quiser arriscar, o “dala-dala” é o transporte publico mais usado pelos locais. É um tipo de microonibus, caindo aos pedaços, sempre lotado de gente e de coisas penduradas, que liga as principais cidades do pais.

O QUE USAR: Na Tanzania, a temperatura e os mosquitos ditam a moda. A roupa tem que ser leve por causa do calor, mas comprida por causa dos mosquitos e de cor clara por causa dos dois. Mas uma vez, precaucao contra a malaria nunca é demais, nao existe vacina ou remedio 100% eficaz na prevencao e a unica maneira de evitar a doenca è evitar a picada do mosquito.

 Para os safaris, principalmente aqueles feito a pé, o sapato deve ser muito confortavel e resistente. Sapato pra caminhar no meio do mato, pisar em caca de elefante, encher de  “picao“… 

selous camp2

Para jantar no hotel, um sapato fechado e confortavel também é a melhor pedida. Os hoteis, apesar de luxuosos, sao rusticos e isso quer dizer que entre o quarto e a sala de jantar vai ter uma ou estrada de terra, ou com muitas pedras e é claro cheio de formigas, lagartixas, besouros e outros animais daqueles que, de noite, ficam invisiveis. 

ndarakwai1

E apesar da Tanzania ser bem proxima do Equador, a época da seca coincide com o inverno e a diferenca de temperatura entre o dia e a noite é consideravel. É bom ter uma blusa quentinha na mala por causa dessas variacoes termicas.

Em Ngorongoro, que fica a 2700m acima do nivel do mar, é bom ter duas blusas quentinhas na mala! Lá faz frio de verdade de noite; nós pegamos temperaturas em torno a 10ºC – 12ºC.

O QUE LEVAR: 

– protetor solar, chapeu, oculos escuros e qualquer outra coisa necessaria para se proteger do sol forte.

– repelente contra mosquitos: quanto maior a porcentagem de DEET, melhor o resultado. O nosso tinha 15% de DEET e às vezes eu tinha a impressao de que os mosquitos riam de nós… Conhecemos uma escocesa que usava um repelente 50% DEET, ela disse que funcionava bem, mas as partes plasticas do seu relogio derreteram…

– maquina fotografica com um zoom super poderoso: fiquei com muita raiva da minha compacta, a coitada nao dava conta de tirar fotos decentes dos bichos. Esse é o tipo de viagem em que eu nao me incomodaria de carregar uma mala extra para uma maquina fotografica boa e seus apetrechos volumosos.

leoa

Tà, eu confesso que a maior parte das fotos tremidas nao foram culpa da maquina.  Mas nao è todo dia que eu me deparo com leoes a poucos centimetros de distancia…

– farmacia completa e vacinas em dia: Nós resolvemos seguir à risca as recomendacoes do medico e tomamos vacinas contra hepatite, tifo, tetano, febre amarela, etc, tomamos direitinho o remedio para prevenir a malaria e também levamos os classicos remedios para  dor de cabeca, diarreia…  Felizmente nao precisamos usar nada! Nao tivemos nem um mal estarzinho pra contar a historia! Mas se precisassemos, seria um problema encontrar remedio por ali.

– lanterna: essa eu esqueci de levar e tive que arrumar as malas no escuro, pois, como já disse anteriormente, energia eletrica é artigo de luxo até em hotel 5 estrelas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

34 thoughts on “Parques na Tanzania: ficha técnica

  • 14/07/2009 at 21:45
    Permalink

    Luiza!!
    Seu relato ficou sensacional!
    Estou planejando uma viagem a Tanzania ano que vem, em Maio/Junho, mas nosso objetivo eh escalar o Kilimanjaro, e depois fazer um safari e passar uns dias em Zanzibar.
    Estou devorando suas dicas!!

    Reply
    • 16/07/2009 at 12:28
      Permalink

      Uau, Dri!
      Tem certeza de que vc vai escalar o Kilimanjaro? Eu atè fiquei com vontade, mas sou muito fresca pra isso!
      Depois quero saber tudinho!
      Se eu puder ajudar em qq modo na organizacao da tua viagem, estou à disposicao!
      Bjs

      Reply
  • 17/07/2009 at 01:07
    Permalink

    Luisa, se você é “fresca” e foi pra Tanzânia… eu acho melhor me aposentar… ou me internar! Safári?… “daqui num saio, daqui ninguém me tira!” hehehe!

    Reply
    • 17/07/2009 at 11:22
      Permalink

      Oi Silvia,
      Safari na Tanzania è facil!
      Basicamente è turismo dedicado a americano rico, entao, basta pagar que vc nem vai se lembrar que està no meio do mato.
      Os hoteis fornecem todo o conforto possivel e uma legiao de funcionarios te paparicando o tempo todo e te levando pra cima e pra baixo.
      E’ claro que tem os inconvenientes da falta de estrutura do pais, como energia eletrica e agua racionados, mas è sò se adaptar aos horarios e vc nem se incomoda mais com isso. 😉
      Acho que vc nao precisa se aposentar nao! Atè frescas como eu conseguem se adaptar bem. Se eu dei conta, vc tb consegue! 🙂
      Bjs

      Reply
  • 18/07/2009 at 15:20
    Permalink

    Luisa

    Adorei ler o seu roteiro e as dicas preciosas para qualquer viagem a Tanzania…pena eu ser tao verdadeiramente “fresca” que nao as vou poder utilizar…hehe 😉
    Os hoteis apesar da bicharada também me pareceram confortaveis… 🙂

    bjs
    Ps:estou em Viareggio,com a intensao de fazer alguma praia e ir finalmente a Cinque Terre!Nao lhe telefonei para o nosso café porque cheguei na quarta feira a meia-noite a Milao e no dia seguinte ja estava de partida para Genova de manhazinha!Esse café nunca mais sai…hehe

    Reply
  • Pingback: Luisa na Tanzânia | Viaje na Viagem

  • 22/07/2009 at 15:02
    Permalink

    Luisa, seu relato está mesmo sensacional – dá vontade de embarcar imediatamente! 😀

    Reply
  • 23/07/2009 at 18:51
    Permalink

    Que lua de mel heim……
    adorei a história……
    beijos

    Reply
  • 29/07/2009 at 01:49
    Permalink

    Oi Luisa,

    Nossa, tb estou “devorando” suas dicas e comentarios! Estou planejando essa viagem para o ano que vem! Nao sou muito fresca, so tenho uma fobia, que sao as baratas…..tem muita barata por la? E nos hoteis? De resto topo tudo!
    As fotos estao muito boas! Gostei da dica de levar uma maquina com um zoom potente!
    Beijos
    Pati

    Reply
  • 04/08/2009 at 03:54
    Permalink

    Luisa,

    As dicas estão perfeitas. E a viagem sensacional.
    Sobre a câmera compacta, concordo com você, uma viagem dessa merece um apetrecho fotográfico à altura.

    Beijos

    Reply
  • 14/08/2009 at 23:13
    Permalink

    Luisa e Carol,

    Vcs podem me dar dica de fotografia? Qual seria uma boa objetiva para levar? Minha irma tem uma Cannon 5D, e disse que vai me emprestar!

    Tks!
    Beijos
    Pati (gente, nao tenho blog nem site, mas estou super interessada pelo Arquivo de Viagem!)

    Reply
  • 18/08/2009 at 14:10
    Permalink

    Oi Patricia,

    Uma teleobjetiva é uma lente que tem grande alcançe, ou melhor, traz toda a imagem bem pra perto de você. Assim você consegue tirar ótimas fotos, principalmente em um safari, que o carro não pode se aproximar muito dos animais.

    Essa cannon 5D é uma super câmera (profissa), porém para se ter a tecnologia de uma teleobjetiva é preciso comprar uma lente especial para este modelo. Geralmente cada marca ou modelo tem suas teleobjetivas específicas. E geralmente o custo delas é alto, mas se você gosta muito de fotografia, o investimento vale a pena!

    Veja, eu quando fiz safari, levei uma máquina compacta da sony, e as fotos ficaram bem boas. Com certeza com uma objetiva teriam ficado melhor!

    Espero ter ajudado!
    Beijos

    Reply
  • 22/08/2009 at 00:33
    Permalink

    Oi Carol,

    Obrigada pelas dicas! Pois eh, andei dando uma pesquisada nos precos de algumas teles compativeis com a 5D, e os precos sao absurdos! Eu nao imaginava que essas coisas fossem tao caras! Vou ver o que vou fazer, ainda tenho um ano para decidir!

    Mas de qq forma, a compacta vai junto com certeza!

    Obrigada,
    Pati

    Reply
  • 22/08/2009 at 00:36
    Permalink

    Carol,

    Ja ia me esquecendo, e sobre o meu post anterior….BARATAS! Tem muitas? E nos hoteis?

    Por mais absurdo que possa parecer, essa informacao eh muito importante para mim, preciso de detalhes!

    Beijos,
    Pati

    Reply
  • 02/09/2009 at 18:39
    Permalink

    Oi Margarida!!

    Desencontramos em Milao e em Viareggio!! Acho que esse café nao sai mesmo…
    Quando vc passou por Milão, eu já tinha embarcado pra America do Sul e quando voltei pra Italia, fui passar uns dias em Viareggio, mas acho que vc já nao estava mais lá!

    Esse ano tenho planos de voltar a Portugal (eu sempre tenho planos de voltar a Portugal! Adoro o “nosso” pais!)… Quem sabe…

    Bjs

    Reply
  • 02/09/2009 at 18:42
    Permalink

    Oi Carla,

    Obrigada! Dá vontade de voltar! Foi uma viagem deliciosa!

    Bjs

    Reply
  • 02/09/2009 at 18:45
    Permalink

    Oi Patricia

    Eu nao vi barata por lá nao…
    Pra dizer a verdade, eu vi tanto bicho diferente que se tinha barata eu nem percebi. 🙂
    É só vc escolher um hotel legal que os quartos sao protegidos de todo e qualquer bicho, nao se preocupe!

    Bjs

    Reply
  • 02/09/2009 at 18:48
    Permalink

    Ah, Patricia e sobre a maquina fotografica… Ainda bem que a Carol já te respondeu! Eu nao entendo absolutamente nada de fotografia!

    Nao me aventurei em cursos e cameras mais poderosas pq detesto carregar muito volume e muito peso nas minhas viagens, mas na Tanzania vale a pena o esforço.

    Bjs

    Reply
  • 02/09/2009 at 18:49
    Permalink

    Oi Carol,

    Brigadao pelo comentario e pela ajuda com a maquina fotografica da Patricia! 😉

    Bjs

    Reply
  • Pingback: Parque Nacional Manu « Arquivo de Viagens

  • 06/11/2009 at 00:48
    Permalink

    eu amei a historia do Elefante eu ja viajei para africa tenho 25 anos

    Reply
    • 07/11/2009 at 15:50
      Permalink

      Oi Juliana
      A Africa é apaixonante, né? Quero voltar!
      Pra onde vc foi?
      Bjs

      Reply
  • 25/06/2010 at 10:08
    Permalink

    Luisa, volta e meia eu bato ponto aqui nos posts da Tanzânia para fuçar mais sobre este destino! Menina, ele não sai da minha cabeça!! Ainda mais agora que tem voo direto de Dubai para Kilimanjaro e para Zanzibar, assim dá para fazer um round trip completo! 🙂 Tô querendo ir em novembro, mas só vou ter 5/6 dias e não vou poder espichar tanto como vc… Para eleger um parque, qual seria sua recomendação: Serengetti ou Ngorongoro?

    Os vôos ainda não estão confirmados, porque são destinos há pouco incorporados, portanto, ainda não consigo planejar extamente o roteiro… Mas o que tenho em mente a princípio é:

    Dia 1: Dubai – Kilimanjaro
    Dia 2: Kilimanjaro
    Dia 3: Kilimanjaro – Parque Serengetti ou Ngorongoro
    Dia 4: Parque Parque Serengetti ou Ngorongoro
    Dia 5: Parque – Zanzibar
    Dia 6: Zanzibar – Dubai

    O que vc acha??

    Bjks

    Reply
    • 25/06/2010 at 11:04
      Permalink

      Oi Fe
      Voo direto è o sonho de todo turista! Vc acredita que eu tive que sair de Milao, ir atè Amsterdan, pra depois seguir pra Kilimanjaro?
      Se eu tivesse que montar uma ordem de preferencia de parques eu colocaria o Ngorongoro em primeirissimo lugar, pq toda aquela fauna dentro de uma cratera de vulcao è indescritìvel de tao bonito. Em segundo lugar viria o Serengetti com aquela migraçao de bichos que eu nunca vi tanto bicho junto! (Se vc decidir por Serengetti, escolha seu hotel com base na migraçao, senao nao vai ter muita graça). E em terceiro lugar eu colocaria o Kilimanjaro, pq è maravilhoso, mas nao tem nada de particularmente “especial” como uma migraçao ou uma cratera de vulcao cheia de bicho. Tem o vulcao Kilimanjaro, mas eu nem cheguei a ve-lo direito por causa das nuvens…
      A quantidade de dias em cada lugar està perfeito (se vc tiver o mesmo ritmo de viagem que eu, è claro!)
      Bjs

      Reply
  • Pingback: Meus 7 Links | Arquivo de Viagens

  • 29/01/2012 at 00:25
    Permalink

    Oi Luisa, adorei todos os teus posts sobre a Tanzania e tb estou planejando a minha lua de mel pra esse lugar tao incrivel… Queremos iniciar nosso Safari no Kilimanjaro, seguindo por Ngorongoro, Serengeti e Selous Game Reserve… Vc pode nos dar dicas de hoteis nesses lugares??? Estamos com dificuldade em encontrar hoteis dentro dos parques… Obrigada! Bjs,
    Beatriz

    Reply
    • 31/01/2012 at 11:07
      Permalink

      Oi Beatriz
      Em Ngorongoro nòs ficamos no Ngorongoro Crater Lodge, dentro do parque, muito bom e muito caro.
      Em Seregeti, convem verificar onde vai estar a migraçao de acordo com o periodo que vc esta pensando em ir e sò entao escolher o hotel.
      No Selous nao ficamos dentro do parque e o hotel era mais ou menos, entao nao vou recomenda-lo.
      No Kilimanjaro, era um hotel perto do aeroporto de Arusha, nada de especial e ainda por cima roubaram minha escova de dentes e o perfume do meu marido! 🙂 )
      Bjs

      Reply
  • 16/08/2012 at 18:25
    Permalink

    Oi Luisa! Adorei o seu post!
    Concordo plenamente com sua dica sobre se hospedar no melhor hotel possível. Afinal, como você mesma disse, lá você fica completamente dependente da estrutura e dos servicos do hotel. Já estive na Tanzânia e fiquei no Singita Faru Faru…um hotel super top, que fez toda a diferença na minha viagem, que foi incrível! Escrevi no meu blog um relato sobre a minha viagem (Tanzânia e Quênia). Se quiser conferir o meu “olhar” sobre os destinos, o link do post é: http://www.viabrblog.com.br/sem-categoria/estive-la-quenia-e-tanzania/
    Bjs

    Reply
    • 08/01/2013 at 11:52
      Permalink

      OI Claudine
      Vou curiosar!
      Bjs

      Reply
  • 08/06/2013 at 13:24
    Permalink

    Oi Luiza, tudo bem?
    Estou planejando uma viagem para a Tanzânia em setembro agora. Acostumada a planejar minhas próprias viagens sem contar com ajuda de agências, já entendi que pra lá não vai rolar. Pretendo fazer o Ngorongoro e o Serengueti, depois partir pra Zambibar para descansar.
    Teremos 10 dias na Tanzânia mais ou menos, antes teremos ido ao Egito.
    Será q vc me ajudaria a planejar qtos dias em cada lugar?
    Queria saber tb se tem dicas de agências para organizar tudo, ou se só tendo as dicas de bons hotéis já é o suficiente.
    Creio q em setembro a migração do Serengueti estará na verdade no Quênia, no Masai Mara, tô pesquisando.
    Mais uma pergunta, Nogorongoro/Serengueti/Zanzibar, pingando de avião entre eles, é isso? Ou Nogorongoro pro Serengueti rola de ir de carro?
    Enfim, se vc tiver alguma dica pra me ajudar no planejamento.

    Adorei seu relato, acabei de achar seu blog, já tô seguindo. 🙂
    Abraços!

    Reply

Leave a Reply to Silvia Oliveira - Matraqueando Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *