Pushkin e Peterhof

Pushkin e Peterhof eram dois lugares nos arredores de Sao Petersburgo que eu queria muito conhecer e que rendeu muita dor de cabeca para organizar a viagem. A minha maior preocupacao é que tudo o que eu lia a respeito desses lugares afirmava categoricamente que, sem ingressos previamente comprados, corre-se o risco de nao entrar, tamanha a quantidade de turistas por ali.

Usando toda a minha fluencia em russo, achei o site dos dois lugares, mas nenhum vende as entradas pela internet. Eu nao queria ir até a Russia e deixar de visitar alguma coisa porque nao tem mais ingresso e também nao queria me enfiar num daqueles grupos de visita guiada. O jeito foi pagar um guia particular, com transporte e tudo!

 Escolhemos a Peter’s Walking sugerida pela Lonely Planet e gostamos bastante. O preço foi meio salgado, o pagamento é feito em dinheiro vivo no dia do tour e nao dao nem um recibinho sequer, mas a guia era muito simpatica e profissional. Achei que valeu a pena!

Embora sejam dois lugares distintos e longes um do outro, achei melhor reagrupà-los num unico post, porque, pra mim, sao lugares que se completam. Pushkin possui um palacio maravilhoso e um jardim bonito; Peterhof, por sua vez, possui um jardim maravilhoso e um palacio bonito.

Quando eu ainda estava em fase de pesquisas para a viagem, fiz uma confusao danada com esses lugares, pois é possivel encontrar vàrios nomes para a mesma coisa e eu ficava sem entender nada. Foram horas fuçando na internet até eu descobrir que Pushkin é o novo nome da cidade, (em homenagem ao poeta -quase um heroi nacional por ali…) que antes se chamava Tsarskoe Selo, ou cidade dos czares, onde se localiza o Palacio de Catarina, a principal atraçao do lugar.

O Palacio de Catarina, em Pushkin, é um magnifico palacio em estilo barroco, que foi totalmente destruido pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, e depois foi reconstruido nos minimos detalhes, a maior parte das salas ainda estao sendo restauradas (ou reconstruidas), entao de todo aquele palacio enorme que se ve de fora, sò umas 20 salas estao abertas à visitaçao. As fotos do que sobrou do palacio depois da guerra sao impressionantes.

A visita segue um percurso pré-estabelecido e nao dà pra fugir disso por causa da quantidade absurda de grupos de turistas que tinha por ali (mais uma vez, individuais nao tem vez). Tinha sala com as portas fechadas e uma fulana que controlava o fluxo de gente que entrava e saia… Pode?

No Palacio de Catarina, a sala mais bonita, mais rica e também a unica que nao pode ser fotografada é a Sala de Ambar. Inteira forrada com paineis de ambar de varias tonalidades e decorada com esculturas douradas, espelhos e mosaicos de agata. Nao preciso dizer que com a guerra, esses paineis de ambar desapareceram do mapa!

A sala sò pode ser reconstruida graças a financiamentos generosos da Alemanha e, por causa disso, surgem as mais diversas lendas sobre o assunto: uns dizem que a Alemanha financiou a reconstruçao da sala de ambar por causa de um forte sentimento de culpa, outros dizem que esse financiamento é falso, que, na realidade, a Alemanha devolveu os paineis originais em segredo. Lendas…

Como, pra variar, o tempo tava meio instavel, demos uma volta rapida pelos jardins, (que nao sao grandes coisas, sinceramente) e a nossa guia propos uma visita ao Palacio de Aleksander, ali pertinho.

Esse palacio foi construido para o futuro imperador Aleksander I, mas quem morou mesmo ali foi o ultimo czar russo Nicolau II. O palacio é um verdadeiro contraste em relacao ao de Catarina: nenhum turista e muito simples. Mas eu adorei a visita porque pela primeira vez entrei num palacio com cara de “lar”, de um lugar onde mora gente de verdade: porta retratos de familia, quinquilharias pelas estantes e decoraçao de gosto duvidoso.  Amei!

Jà Peterhof, ou Petrodvorets (Palacio de Pedro), fica no Golfo da Finlandia e é bem facinho chegar até là com aqueles “aliscafi” parados na frente do Hermitage. Como pegamos o primeiro aliscafo e chegamos bem cedo no Palacio, ainda nao tinha muita gente…

Peterhof é chamada de “Versailles russa” e, com certeza, é o lugar mais impressionante da regiao. Começou com um lugarzinho modesto construido por Pedro, o Grande, para observar a construçao da base naval numa ilha bem ali em frente, importante ponto estratégico. Ele gostou tanto do lugar, que acabou realizando um verdadeiro complexo de palacios e fontes, que dà gosto de ver!

O palacio mais importante é o Palacio Grande, entupido de gente, pra variar, e também é uma reconstruçao porque o original também foi destruido pelos nazistas. Por dentro, o Palacio é bonito, tem o mesmo estilo do Palacio de Catarina, em Pushkin, entao nao me surpreendi tanto. A sala mais bonita (pelo menos na minha opiniao) é justamente aquela que foge do estilo “catarina”: o estudio de Pedro, feito com paineis de madeira entalhados e, por incrivel que pareça, unica sala que os nazistas nao destruiram completamente,  quase todos os paineis sao originais.

Mas a maior atraçao de Peterhof sao suas fontes. Tem para todos os gostos: grandes, pequenas, simples, elaboradas, visiveis, escondidas… e o mais interessante de tudo: devido à pendencia do terreno, foram construidas aproveitando a força da gravidade, seguindo a teoria dos vasos comunicantes (eu sabia que as aulas de fisica um dia seriam uteis!). Quer dizer que nao existe nenhuma “bomba”, é o desnivel do terreno que gera a pressao necessaria para ativar as fontes! Simplesmente o maximo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

27 thoughts on “Pushkin e Peterhof

  • 08/10/2008 at 23:50
    Permalink

    Ai, Luisa… A cada post seu meu fascínio pela Rússia só aumenta! E eu que achava que bastaria conhecer Moscou e São Petersburgo…

    Beijos!

    Reply
  • 09/10/2008 at 10:52
    Permalink

    Oi Camila

    Quando eu comecei a organizar a viagem, eu também nao imaginava que a Russia pudesse ter lugares tao lindos fora de Moscou e Sao Petersburgo!

    Mas ainda bem que existem os blogs! Eu também achava que no Peru bastava visitar Machu Picchu… 🙂

    Bjs

    Bjs

    Reply
  • 09/10/2008 at 13:07
    Permalink

    Nossa, que lugar lindo!
    Nem sei mais o que dizer, essa sua viagem para a Russia foi maravilhosa, heim Luisa, quanta coisa diferente, história, cultura, lingua, é tudo que me anima! E adoro o jeito simples que explica tudo, e essas dicas maravilhosas. bjs

    Reply
    • 09/03/2012 at 03:59
      Permalink

      Silvinha.. é tu?? Pela voz, é sim!! Vamos conhecer esses lugares?? rsrs Bjs

      Reply
  • 10/10/2008 at 09:02
    Permalink

    OI, fiquei curiosa, de que cidade do interior do Paraná você é???
    Quanto mais ou menos você gastava por dia nesta viagem à Rússia, e você se sentiu em algum momento algum perigo, e que por aqui falam tanto da máfia russa e tal …
    Beijos e parabéns pelo delicioso post

    Reply
  • 10/10/2008 at 11:45
    Permalink

    Patsy, a viagem foi maravilhosa mesmo! Se tiver oportunidade, nao deixe de visitar a Russia! Recomendo vivamente!

    Bjs

    Reply
  • 10/10/2008 at 11:47
    Permalink

    Oi Silvia!

    O lugar é maravilhoso, mas as fotos… vc està sendo gentil! Obrigada!

    Bjs

    Reply
  • 10/10/2008 at 12:15
    Permalink

    Oi Patricia

    Sou pé-vermelho de Londrina.

    Com relaçao aos gastos, eu acho meio complicado dar um valor porque depende muito do estilo de cada um e do destino escolhido… O que eu posso te dizer é que em uma semana de Sao Petersburgo eu gastei mais do que o dobro do que eu gastei nos outros 20 dias de viagem pelo interior da Russia.

    Pra vc ter uma ideia de valores: o menu degustacao de caviar (sem vodka) custa 16000 rublos (algo em torno a 450 euros), mas um almoco com tortas tipicas salgadas e doces num boteco sai por 500 rublos (15 euros) com bebidas incluidas (cerveja e agua) para 2 pessoas. Sem partir para os extremos e com bebidas incluidas, um jantar num restaurante legal vai custar uns 5000 rublos (140 euros) para um casal, num restaurante normalzinho e decente o preço cai para uns 2000 rublos (60 euros) o casal.

    A diaria de um quarto duplo no melhor hotel de cidades no interior custam em torno de 3500 rublos (uns 100 euros), e em Moscou e em Sao Petersburgo tem hoteis para todos os bolsos, mas com os mesmos 3500 rublos, o hotel nessas cidades serà de qualidade inferior, se comparados com hoteis de cidades pequenas.

    Gastamos pouco menos de 8000 rublos (uns 225 euros) em 4 passagens de trem (2 em primeira classe e 2 em segunda classe) para viajar de Kem a Sao Petersburgo…

    Jà com relacao ao perigo… Nao me senti nem mais, nem menos segura do que me sinto em Milao. Os maiores perigos ali sao relacionados à comunicaçao mesmo (ou a ausencia dela): perder um voo pq nao tem uma alma no aeroporto que fale ingles e que te de uma informaçao precisa, errar a estrada, pegar o metro errado, comer mal pq nao entende o menu, e por ai vai…

    Acho que é isso!

    Bjs

    Reply
  • 10/10/2008 at 14:11
    Permalink

    Ola Luisa,

    Vim conhecer o seu blog e amei….parabens!!!!

    Ja esta nos meus favoritos

    Um beijo grande e fiquem com Deus

    Reply
  • 10/10/2008 at 18:10
    Permalink

    Num falei que a gente era separada no nascimento. Também sou de Londrina… beeeem pé vermelho! Bjs!

    Reply
  • 13/10/2008 at 12:18
    Permalink

    Oi Barbrinha!

    Seja bem vinda! Que bom que vc gostou!

    Bjs

    Reply
  • 13/10/2008 at 12:19
    Permalink

    Silvia e Patricia,

    Que mundo pequeno, hein! 🙂

    Bjs

    Reply
  • 19/10/2009 at 12:25
    Permalink

    Fiquei no inicio da leitura que tinhas conseguido fazer os 2 locais no mesmo dia com o tal guia, mas depois já me pareceu que não foi assim que aconteceu. Indo cedo dá para depois visitar alguma coisa em St.Petersburg?. Para Peterhof foste sem guia? onde ficaste de te encontrar com o guia?

    Reply
  • 21/10/2009 at 13:47
    Permalink

    Oi Julio
    Fui um dia em cada lugar. Nao dá pra fazer tudo no mesmo dia.
    Nós fomos no primeiro horario de abertura e voltamos pra Sao Petersburgo por volta das 15-16 horas. Dá sim pra passear pela cidade, mas leve em conta o horario das atracoes da cidade. Pode ficar muito corrido.
    Nós usamos uma guia em Peterhof que foi nos buscar no hotel.
    Bjs

    Reply
  • 03/09/2010 at 16:35
    Permalink

    Ola Luisa,
    Achei muito interessante sua viagem e gostaria que você me desse uma informação sobre a visita a Peterhof. Pegando o Aliscafi (que eu nem sei o que é) se chega ao palácio. E para voltar? Como faz? Ficarei muito grato por seu retorno porque estou fazendo um roteiro de viagem. Também quero ir ao famoso zoológico de lá. Se tiver alguma informação ficarei feliz em receber. Abraços.

    Reply
    • 07/09/2010 at 09:53
      Permalink

      Oi Alexandre
      Eu fui e voltei de aliscafo (è um barco rapido, mas eu nao me lembro o nome disso em portugues) e visitei apenas o palacio.
      Nao fui ao zoologico, nao sei se è perto ou longe nem como se faz para chegar, pq como nao me interessava, nem prestei atencao….
      Bjs

      Reply
  • 17/11/2010 at 18:30
    Permalink

    Luisa
    Muito bom o seu blog e suas dicas. Penso em ir para a Russia (Moscou e São Petersburgo) em maio próximo.
    Mas tenho receio de uma coisa: há muitos relatos da polícia pedindo passaporte de turistas sem motivo algum nas ruas e de muitos furtos.
    O que você pode dizer sobre isso?

    Reply
    • 24/11/2010 at 14:31
      Permalink

      Oi Leandro
      A unica coisa que posso dizer è que ninguem me pediu o passaporte. Alias, como o passaporte ficava no hotel pra fazer o registro de chegada, eu andava sò com uma fotocopia do passaporte. Mesmo que alguem me pedisse, eu nao teria como entrega-lo.
      Bjs

      Reply
  • 11/02/2011 at 16:22
    Permalink

    Por acaso não havia alguma forma de apenas comprar os ingressos em S. Petersburgo, sem contratar o guia? Ou o guia era imprescindível (dificuldade de acesso, comunicação, etc)? Vc lembra qto foi (+ou-) esses passeios?
    Desculpe pela avalanche de perguntas!!!

    Reply
    • 13/02/2011 at 10:17
      Permalink

      Oi Natalia
      Tem jeito sim de comprar os ingressos sem o guia, mas achamos melhor pegar o guia por pura preguiça de procurar o transporte, e com medo de nao achar ingressos disponiveis no dia que a gente queria. A Lonely Planet fez um pouco de terrorismo sobre “faltar ingressos”, entao preferimos nao correr riscos.
      O acesso è facil (para os padroes russos) e a comunicaçao è sempre em russo. Nao me lembro mais dos preços… Lembro que nao foi exatamente economico…
      Bjs

      Reply
  • 21/02/2011 at 17:22
    Permalink

    Olá Luisa adorei suas dicas. estou indo em maio e vai me ajudar muito. Perpe Brasil

    Reply
  • 15/06/2011 at 23:03
    Permalink

    Olá Luisa, voltei de viagem com minha turma do ateliê de arte. Adoramos a RUSSIA.em SÃO PETERSBURG, estivemos em Peterhof é fantástico. Contratei uma empresa ótima com uma russa que habla espanhol, foram super eficientes: o endereço http://www.redoctober.ru Obalé muito bom, ela nos pois na 1 fila cara a cara com o show.E tem guia falando portugues. Abraços a todos os viajantes. Perpe Brasil

    Reply
  • 25/01/2015 at 21:13
    Permalink

    Luís, legal seu blog! Estou com uma guia russa que fala Português. Irei a Puskin e Pavlov com ela. MInha pergunta é se Peterhof, com o aliscafi, dá para eu ir só? Não é complicado para chegar e entrar o Grande Palácio? Estarei em SPB durante as noites brancas. Outra dúvida minha: para ir ao Hermitage, começarei por qual prédio. São 6. Dá para se virar só? Como vês eu viajo ” alone”!!! Obrigada desde já pelas informações… preciosas…

    Reply
    • 26/01/2015 at 14:10
      Permalink

      Respondi no outro post, Vera
      Bjs

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *