Tetouan

Tetouan, no norte do Marrocos, ficava meio fora de mão do roteiro que havíamos planejado e, para visitá-la, deveríamos dirigir bem umas 3 horas a partir de Fez. Como não queríamos passar nenhuma noite por ali, resolvemos fazer aquilo que eu prometo sempre que, da próxima vez, não faço mais: gastar mais tempo com o transporte do que conhecendo o lugar.

É o típico programa de índio: acordar super cedo, 3 horas pra ir, 3 horas pra voltar e poucas horas para apreciar o lugar. Mas, será que Tetouan vale esse esforço?

Bom, a Unesco tombou a medina da cidade como patrimônio histórico, a Lonely Planet dizia que Tetouan era particularmente interessante porque não se parecia com as outras cidades marroquinas… Já que é assim… Por que não?

Como já comentei, as estradas do Marrocos são bem boas, mas não dá pra dirigir muito rápido devido a enorme quantidade de pessoas, animais e policias pela estrada; com isso, chegamos em Tetouan por volta do horário do almoço.

Mal saímos do estacionamento, fomos abordados por “guias” que queriam porque queriam nos acompanhar pela cidade. Achamos divertida a primeira abordagem, rimos e fomos simpáticos na nossa também primeira tentativa de nos livrarmos do fulano.

Acontece que, se você demonstra o menor sinal de simpatia, o tal fulano não vai embora de jeito nenhum e não te dá paz. No segundo guia, a minha paciência já tinha se esgotado e o meu namorado, que é um gentleman, ainda insistia com a política da boa educação. Mais uma vez, tínhamos um guia grudado que não nos dava paz.

Com o terceiro guia, não só a minha paciência já tinha ido embora, mas também o mau humor já tinha se instalado. Antes que o tal guia pudesse dizer qualquer coisa, explodi, e, gentilmente, pedi para que ele desaparecesse da minha frente. Mas será o benedito que não consigo dar dois passos tranquila nessa [censurado] de cidade?

O namorado, com toda razão, brigou comigo e disse que eu não precisava ser tão grossa. Fiquei com peso na consciência, então, pra não ser grossa, comecei a ignorar completamente os outros guias que nos abordaram. Enquanto isso, o sempre elegante namorado tentava inutilmente se desvencilhar deles com diplomacia e educação.

Não me surpreendi quando vi que bastaram somente 2 guias a mais para que toda a elegância do namorado fosse por água abaixo. Pode demorar um pouco mais, ou um pouco menos, mas não existe uma viva alma nesse mundo que não se irrite com tanta insistência.

Aprovando ou não, sendo correto ou não, chegamos a conclusão de que o único método eficiente para ter um pouco de paz e ficar livre rapidamente dos guias era um incisivo “no, thanks” e ignorá-los por completo. Se o desdém não funcionasse por alguns minutos, uma patada bem dada era o suficiente para que ele nos xingasse e fosse embora.

Mas não poderíamos deixar que esse “detalhe” arruinasse o nosso passeio e seguimos para o nosso tour pela medina de Tetouan.

Aquela medina era horrorosa! Nem nos áureos tempos do Paraguai eu encontrava tanta coisa falsificada reunida. E, sinceramente, se eu quisesse ver marroquino vendendo Dolce & Gabbana falsificada, teria ficado em Milão mesmo!

Talvez eu estivesse sugestionada pelo “ataque dos guias”, mas, apesar deles não consegui encontrar nada em Tetouan com um mínimo de charme, ou que despertasse a minha atenção suficientemente para que pudesse dizer: “Isso é legal!”. Não tinha vontade nem de tirar fotos por ali…

Ficamos menos de uma hora na cidade, tempo mais do que suficiente para que a vontade de ir embora dali se tornasse irresistível. Agradeço aos céus que, pelo menos em um aspecto, a Lonely Planet tinha razão: Tetouan realmente não se parece com nenhuma outra cidade marroquina!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

20 thoughts on “Tetouan

  • 22/05/2008 at 19:56
    Permalink

    Muito bom seu blog, a escrita flui e a leitura se torna um prazer.

    Vai pros favoritos

    Reply
  • 23/05/2008 at 17:45
    Permalink

    Oi Menina!!

    Nem me fale nesses benditos-insistentes guias! Sei muito bem do que você está falando, e ao contrário, nas minhas viagens, quem perde a paciência é sempre meu marido que D-E-T-E-S-T-A esse tipo de abordagem… também, não é pra menos, quando eles querem ser irritantes e inoportunos eles sabem ser e muito bem! Isso sempre acaba estragando o passeio. E concordo comtigo, um bom “gelo” e “no thanks” é o que melhor funciona!
    🙄

    Beijos!

    Reply
  • 23/05/2008 at 22:59
    Permalink

    Luisa

    Fartei-me de rir com o seu post…porque retrata exactamente o que se passa não só nesta mas em todas as cidades de Marrocos…pelo menos as que eu conheço!!
    Imagine que o meu marido,que até é bem calmo,queria vir embora a meio das férias!!Estivemos por lá 15 dias,mas depois dos primeiros 5 ele teria apanhado o avião de volta,se pudesse…hehehe

    Eu ainda hoje estou para achar linda…romântica…original…exótica…etc… como vem descrita em todos os guias e revistas de viagens…a praça Djemaa el-Fna em Marrakech…
    Se calhar sou eu que estou errada,mas só consegui ver um monte de gente a vender dentaduras usadas…

    beijos

    Reply
  • 23/05/2008 at 23:03
    Permalink

    Olá Junior de Paula,

    Que bom que vc gostou! Seja bem vindo!

    Bjs

    Reply
  • 23/05/2008 at 23:05
    Permalink

    Oi, Carol,

    Realmente essa raça não dá sossego! Mas se eles sabem ser insistentes, eu sei ser incisiva… Depois de Tetouan não tive mais problemas com esses guias… Quer dizer… até tive problemas, mas já tinha aprendido como lidar com eles sem me estressar…

    Bjs

    Reply
  • 23/05/2008 at 23:11
    Permalink

    Pois é, Margarida, como eu, agora vc está se fartando de rir, mas aposto que na hora não teve graça nenhuma! 🙂

    Eu só não quis ir embora antes porque deixei a noite no deserto por último e estava muito curiosa para conhecer o Sahara, senão…

    Bjs

    Reply
  • 24/05/2008 at 13:03
    Permalink

    Deu-me vontade de rir o que tu contas, esses guias parecem mais uns implastros irritantes, eu não tinha muita paciência!
    Gosto das tuas fotos pois assim também estou viajando contigo via net, essas cidades são bonitas e exóticas…

    Reply
  • 26/05/2008 at 01:59
    Permalink

    Luisa, eu estava achando a cidade interessante pela foto, mas ao longo do seu post, eu já podia “sentir” a sua irritação, até seu namorado mais paciente se encheu, eu ri, mas esses guias devem ter sido mega chatos.

    Reply
  • 26/05/2008 at 10:16
    Permalink

    Oi, Luis

    Eu até sou do tipo paciente, mas esses guias conseguem irritar qualquer um. Hoje eu também dou risada, mas na hora eu sò tinha vontade de estrangular um por ali…

    Obrigada pelos elogios.

    Bjs

    Reply
  • 26/05/2008 at 10:22
    Permalink

    Olà, Majo

    Mega chatos é pouco! Sao super hiper mega chatos! 🙂

    E acho que nao sao muito inteligentes também, pois, comigo (e acredito que vàrios outros turistas) eles conseguiram o oposto do que pretendiam: em vez de eu permanecer na cidade e fazer compritchas, eu sò queria escapar dali o mais ràpido possivel, por culpa deles!

    Bjs

    Reply
  • 05/06/2008 at 00:36
    Permalink

    Oi Luisa, Tudo bem?
    Depois de um loooooongo tempo, voltamos para Toronto… amei a passagem pela Australia e a viagem a Nova Zelandia… show!
    Agora, sobre seus posts… super máximo essa sua viagem pelo Marrocos, vocês foram sozinhos, mesmo? Dirigiram tudo numa boa? Eu sempre morro de medo de país Árabe… principalmente quando se vai para o interior (as capitais são sempre cosmopolitas)… pelo menos essa foi a impressão que tive da Tunisia.
    Amei o post anterior… vc viu vento de areia e eu que vi um Saara nublado, sem comentários, né? O povo da vila que ficamos, estavam todos rezando para chover… enquanto eu estava quase tendo um treco, pois Saara e chuva não combinam, né? ahahah…
    Sabe que eu adoro seus relatos, né?
    bjs

    Reply
  • 05/06/2008 at 09:37
    Permalink

    Olá Mirella!

    Viajar é maravilhoso, mas voltar pra casa faz um bem… Dá uma saudade das nossas coisas, né? Além disso, eu preciso de um porto seguro para recarregar as energias e programar as próximas viagens…

    Quero saber de tudo sobre a Nova Zelândia! Deve ser um lugar fantástico, que está na minha lista faz tempo, mas é tãão fora de mão! É muito longe!

    Sabe que eu estava com medo de girar pelo Marrocos na cara e na coragem… Mas eu exagerei com as preocupações, foi super tranquilo, inclusive nas cidades do interior. Os perrengues por que passamos, passaríamos do mesmo jeito, estando ou não sozinhos…

    Deserto nublado não tem muita graça mesmo, seja nublado “de nuvem”, seja nublado “de areia”… Agora… chuva no deserto! 🙂 Eu não sei dizer se é muita sorte ou muito azar…

    Bjs

    Reply
  • 05/09/2008 at 15:47
    Permalink

    Luísa,
    Eu acabei achando que a principal função do guia, numa viagem ao Marrocos, é manter afastados os OUTROS candidatos a guia. Aquilo é uma chatura sem fim. Eu só falava um automático “não, obrigada” em português mesmo, pra desestimular qualquer conversa. E ainda bem que você foi a Tetouan, pra eu não ter que ir 😉

    Reply
  • 07/09/2008 at 02:06
    Permalink

    Oi Luisa. Estive em Tetouan em abril passado e felizmente não tive a mesma impressão que tu… É mais que certo que quem viaja para o Marrocos tem que levar na mala uma boa dose de paciencia. É assim e ponto. Eles são chatos, insistentes e te orbigam a barganhar em qualquer compra. Mas esse é o tipo de vida deles, é assim que funciona e para andar por lá tem que ir bem preparado. É um saco, mas sem essa tolerancia qualquer passeio se torna feio. Gostei muito da medina, sou arquiteta e nunca tinha visto nada igual. É certo que ela está um pouco mal cuidada e ouvi dizer que a Unesco anda em cima do Marrocos por causa da falta de preservação… Pena que não conseguiste ter a mesma impressão! Um abração! 🙂

    Reply
  • 07/09/2008 at 12:22
    Permalink

    Oi Dani S.,

    Os guias são chatos, mas em Tetouan eles conseguiam ser ainda mais insistentes e mais chatos do que no resto do Marrocos (pelo menos por onde andei).
    Eu também já estava no automático, nem olhava mais pra eles… Eu, hein!

    Bjs

    Reply
  • 07/09/2008 at 12:39
    Permalink

    Oi, Glenda,

    Eu também estive no Marrocos em abril passado! Que coincidência!

    Eu não gostei de Tetouan pq os guias são mais chatos do que no resto do Marrocos por onde andei. Em Fez, em Meknes, em Marrakech tava cheio de guias insistentes, mas pelo menos eram mais simpaticos e menos grudentos…

    Normalmente sou uma pessoa paciente que viaja de coração aberto para absorver as diferenças culturais de cada lugar, mas paciência tem limite! Ou, de repente, eu estava num mal dia…

    Eu não entendo nada de arquitetura, mas, quando viajo, adoro observar os diversos estilos arquitetônicos e tentar aprender um pouquinho sobre eles, principalmente quando a arquitetura é o ponto alto do lugar.

    Em Tetouan, não consegui ver nada! Tava tudo coberto com quinquilharias falsificadas e dois minutos parada para olhar a medina eram mais do que suficientes para que pelo menos 5 guias aparecessem para incomodar… Foi mesmo uma decepção! Uma pena!

    Fico feliz que vc tenha aproveitado a viagem! E valeu pelo relato! Adoro trocar figurinhas e saber o ponto de vista e impressões de pessoas que estiveram nos mesmos lugares que eu. 🙂

    Ah, a parte da barganha eu não sei como funciona. A única coisa que comprei no Marrocos foi um imã de geladeira para a minha coleção 😳

    Bjs

    Reply
  • 17/02/2011 at 23:44
    Permalink

    Oi Luisa, vou com minha mãe pra Europa de navio agora em março. O navio para no Tenerife, Casablanca, Malta, Corfú e Dubrovnik. Em Malta, a principio escolhemos a excursão q vai aos Templos Megaliticos. Mas não entra nas cidades. Li seu depoimento sobre Malta, mas pra quem so tem o dia…O q vc acha, Cidades ou templos megaliticos? E no Marrocos, temos a opção de ir a Marrakesh passando o dia(a duração de 13h) ou Casablanca? A principio escolhemos Marrakesh. Aqui vc não fala de Marrakesh…
    Se tiver dicas sobre Tenerife e Corfú, será otimo se tiver um tempo para passar. Muito obrigada.
    Vaniana.

    Reply
    • 18/02/2011 at 11:40
      Permalink

      Oi Vaniana
      Depende dos seus interesses… Se vc è do tipo que gosta de historia e de ruinas, os Templos Megaliticos sao maravilhosos!
      Mas se vc nao ve muita graça em ver ruinas, as cidades sao as melhores opçoes. Eu gosto de visitar ruinas, adoro saber a historia do lugar que estou visitando, mas se tivesse que escolhar o que visitar num unico dia, eu ficaria com a cidade.
      No Marrocos, nem pensaria duas vezes: Marrakesh! E em um unico dia, vc nem vai conseguir visitar tudo o que a cidade oferece. Em Casablanca, de interessante, sò tem uma super mesquita ultra moderna. E’ bonita e gostei da visita que fiz, mas sò pq tinha tempo e meu voo saia de Casablanca… Nao deixaria jamais de ir a Marrakesh para visitar Casablanca!
      A melhor fonte de informaçoes sobre Tenerife è o blog Turomaquia. A Patricia mora nas Ilhas Canarias e dà dicas otimas sobre o lugar. O que eu mais gostei de visitar em Tenerife foi o Teide.
      Nunca estive em Corfu e nem conheço nenhum site com dicas sobre o lugar.
      Bjs

      Reply
  • 19/02/2011 at 01:42
    Permalink

    Hei Luisa, Obrigada pelas dicas.
    Vou escrever para Patricia e tirar umas duvidas.
    Valeu.

    Reply
  • 08/11/2012 at 06:06
    Permalink

    Que porcaria de artigo. Estava procurando informações sobre Tetouan e cheguei ao seu artigo, onde em mais da metade dele você fica reclamando sobre os guias e, finalmente, faz uma comparação com o ¿Paraguai?. Quanto preconceito que você tem. Quando as pessoas viajam, deveriam ter a mente mais aberta e um pouco de paciência. Qualquer que queria se informar, neste blog não vai poder.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *